sábado, 30 de novembro de 2013

Pelo fim da violência contra as mulheres

Foto Divulgação PT
Neste sábado (30/11), Sofia Cavedon, vereadora do PT de Porto Alegre, participou do Seminário pelo fim da violência contra as Mulheres, promovido pela Setorial de Mulheres do PT de Tramandai.

Foto Divulgação PT
O encontro, realizado na sede do PT no município, contou com a presença de gestoras, parlamentares, movimentos sociais e conselheiras, que discutiram a situação da violência contra as mulheres no litoral norte do estado. Sofia palestrou sobre as políticas públicas e as Boas Práticas no enfrentamento da violência contra as Mulheres.

Sobre “Feminicidio e as novas faces da violência contra as mulheres”, falaram Adriana Alberche, presidenta do Condim/Tramandai, e Claudia Prates, da Marcha Mundial das Mulheres e Conselheira do Conselho Nacional dos Direitos das Mulheres. A Dra. Aliana Campão, delegada de Polícia, abordou a temática “Patrulha Maria da Penha”.

Enfrentando o Machismo, o Racismo e a Lesbofobia 

E na próxima segunda-feira (02/12), das 9 às 12 horas, a Frente Parlamentar Pró Eliminação de Todas as Formas de Violências Contra as Mulheres, em conjunto com o Comdim - Conselho Municipal dos Direitos da Mulher do Município de Porto Alegre e com a LBL-RS - Liga Brasileira de Lésbicas realizam o debate sobre o Eixo 9 do Plano Nacional de Políticas para as Mulheres Enfrentando o Machismo, o Racismo e a Lesbofobia.

Com a participação das Secretarias de Políticas para as Mulheres do Município de Porto Alegre, do RS e a Nacional, além de diversas redes e organizações de representação de mulheres, de feministas, de negras e de lésbicas apresentando DIAGNÓSTICOS e debatendo PERSPECTIVAS no avanço das políticas públicas para todas as mulheres, a partir das Conferências já realizadas.

O encontro será no Plenário Ana Terra da Câmara de Vereadores da capital (Av. Loureiro da Silva, 255) e será fornecido certificado de participação de três horas de formação.

Fonte: Blog da MMM/RS.

Encontro Nacional de Sateds foi realizado em Porto Alegre

Foto Divulgação Sated/RS
Sofia Cavedon, vereadora do PT da capital e presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara Municipal, participou da mesa de abertura do Encontro Nacional dos Sateds do Brasil, promovido pelo Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Rio Grande do Sul, (Sated/RS), realizado neste final de semana (29/11 a 1º/12), em Porto Alegre.

No encontro foram debatidos os temas: PEC 150; Lei do Artista 6.533 - Decreto nº 82.385 ; Registros Profissional; Trabalho Infantil; Pró-Cultura e Vale Cultura; Preparação sobre Sindicalismo FIA-LA - Federação Internacional de Artistas da América Latina, que vai acontecer em abril de 2014, em Santos/SP; Organização de Politica Sindical Nacional com Propostas de manutenção, desenvolvimento e procedimentos administrativos/financeiros, dos Sateds; Editais de intercâmbio e difusão cultural, a ocupação dos espaços públicos ociosos; Prêmio Teatro Brasileiro e sugestões de outras pautas que venham dos Sateds; Carta ao Ministério do Trabalho e ao Ministério da Cultura; Seguro Desemprego para Artistas. 

Participaram do encontro os Sindicatos de Minas Gerais, Pernambuco, Bahia, Santa Catarina, Ceará, Rio Janeiro,Paraíba, Rondônia, Sergipe, Paraná, Maranhão, Piaui, São Paulo e o Sindicato dos Profissionais da Dança do Rio de Janeiro.

Fonte: Portal do Sated/RS.

Em 2013, Mais amor, por favor!

Em 2013
aconteceu o impensável:

o povo foi pra rua
arrastado pela força da juventude
assustou os políticos,
o cinismo
o capitalismo.

A poesia foi pra rua
“mais amor, por favor”
“nenhuma árvore a menos”
“bicicleta: um carro a menos”
“mais amor, menos motor”

Nosso mandato lutou bravamente
pelos direitos,
pelos pequenos
contra a especulação, a acumulação
o clientelismo.

Com a força do Movimento
tornamos Lei o direito de morar
e a preservação ambiental e cultural
do Morro Santa Tereza
colocamos as Creches no Fundeb,
apesar dos vetos do Sr prefeito!
Vetos a nossa lei que barrou o direito
a 30 dias de férias dos cooperativados!
Veto - de novo! - a nossa lei
que garantia brinquedos adaptados
para crianças com deficiência!

Vitoriosos no direito à inscrição
como família
para casais homossexuais
obterem moradia.
Derrotados na lei que 
fortalecia as livrarias
- triste dia em que a maioria
optou pela voracidade das editoras
de didáticos – de São Paulo!

Fortalecidos com a lei do artista popular
que volta a ocupar o espaço público
fomos incomodativos,
incansáveis!

Queremos o Araújo Vianna
 no interesse público
- o direito à alegria pública!

Queremos as contrapartidas sociais das obras,
a escola,
o verde
a pessoa
acima dos negócios!

“Achar
a porta que esqueceram de fechar.
O beco com saída.
A porta sem chave.
A vida.”
poetizou Leminski

Se não acharmos,
a faremos,
nós mesmos
por
Nossas Escolhas!

Sofia Cavedon - PT/PoA

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Secretário Azevedo e Sofia Cavedon visitam escolas técnicas agrícolas de Viamão

Em Viamão conhecemos escolas agrícolas e as boas práticas pedagógicas na produção orgânica e apoio a agricultura familiar, desenvolvido pelas escolas estaduais Canadá, ETA e Isabel de Espanha.” – Sofia Cavedon 

Foto Cristhine Genro
Na manhã desta sexta-feira (29), Sofia Cavedon, vereadora do PT da capital e presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal, acompanhou o secretário de Estado da Educação, Jose Clovis de Azevedo, nas visitas a Escola Estadual de Ensino Fundamental Canadá e a Escola Técnica de Agricultura (ETA), ambas localizadas na área rural de Viamão, pertencentes a 28ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), de Gravataí e que possuem unidades de produção agrícola, com 56 e 416 hectares, respectivamente.

Na Escola Canadá, eles conheceram a obra de recuperação do “Casarão”, que recebeu investimentos de R$ 1,2 milhão. O prédio histórico de 1919 será a sede administrativa da escola que tem 300 alunos do Ensino Fundamental em tempo integral. A diretora, Patrícia de Oliveira falou dos avanços conquistados nos últimos três anos tanto na infraestrutura (a escola já foi contemplada com outra obra de recuperação e ampliação no valor de R$ 800mil) como pontos administrativos e pedagógicos. “Por muito tempo a gente se virou sozinho aqui. Hoje contamos com o apoio da 28ª Coordenadoria para todas as nossas necessidades”, disse. Na Escola ETA conheceram a obra já executada na área das caldeiras no valor R$ 1,2 milhão.

Foto Divulgação Gabinete
Na próxima segunda-feira (2) inicia mais uma obra de recuperação do telhado, rede elétrica do pavilhão 3 com investimento de R$ 1,1milhão. A Escola possui 335 alunos matriculados no curso técnico agrícola e é destaque em feiras, mostras e concursos da área. O diretor, Evandro Cardoso, reconheceu a atenção dada pela Secretaria nas solicitações. “É importante a sua presença aqui para conhecer a nossa realidade e verificar o trabalho realizado”, disse.

O secretário José Clovis confirmou que a Pasta tem um plano estratégico específico para as escolas agrícolas que, segundo ele, foram sucateadas nas gestões anteriores. “Temos um foco específico para as escolas técnicas, especialmente as agrícolas, para que o campo tenha de fato uma ascensão tecnológica, promovendo a sustentabilidade e o desenvolvimento da agricultura familiar”, destacou Azevedo.

Foto Divulgação Gabinete
No período da tarde, visitaram o Instituto Estadual Isabel de Espanha que passa por uma grande reforma no valor de R$ 1,2 milhão que beneficiará mais de 1.800 alunos. Também conheceram a Casa Açoriana, espaço cultural da escola que desenvolve trabalhos pedagógicos voltados para a cultura açoriana. Para encerrar sua agenda no município, conversou com uma turma de alunas do Curso Normal e falou da necessidade de discussão e reestruturação do sistema de ensino na busca para uma implantação de uma Educação para o século XXI. “As crianças de hoje possuem outros estímulos neurológicos, associados à imagem e ao movimento. Por isso, nós professores, precisamos nos reformular para estimular a criatividade e a pesquisa para garantir a aprendizagem dos alunos”, frisou.

Acompanhou a agenda a coordenadora da 28ª CRE, Rose de Freitas, o deputado estadual Daniel Bordignon, o deputado federal Ronaldo Zulke, e o diretor geral da Secretaria de Estado de Obras Públicas e Irrigação, Dédo Machado.

Fonte: Portal da Seduc/RS

13 anos de Mandato

13 anos de Mandato13 anos de Mandato13 anos de Mandato13 anos de Mandato13 anos de Mandato13 anos de Mandato
13 anos de Mandato13 anos de Mandato13 anos de Mandato13 anos de Mandato13 anos de Mandato13 anos de Mandato
13 anos de Mandato13 anos de Mandato13 anos de Mandato13 anos de Mandato13 anos de Mandato13 anos de Mandato
13 anos de Mandato13 anos de Mandato13 anos de Mandato13 anos de Mandato13 anos de Mandato13 anos de Mandato

13 anos de Mandato, um álbum no Flickr.

Via Flickr:
Plenária de Prestação de Contas e debate sobre os desafios de um novo ciclo.

Com Sofia Cavedon, Raul Pont, Ronaldo Zulke, José Clovis de Azevedo.

Na Sede do PT Municipal de Porto Alegre.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Segurança dos ciclistas em debate

Sofia Cavedon, vereadora do PT/PoA, e Pablo Weiss, presidente da Associação dos Ciclistas de Porto Alegre, falam sobre o Projeto de Lei que que determina que os responsáveis pelas atividades de locação ou empréstimo de bicicletas, passem a disponibilizar os veículos equipados com os itens obrigatórios previstos no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), incluindo o fornecimento de capacetes para os usuários. O projeto tramita na Câmara Municipal.


Caravana das Boas Práticas Pedagógicas: Escola Simões Lopes Neto tem projeto de incentivo à leitura

Foto Desirée Ferreira/CMPA
A Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece) da Câmara Municipal de Porto Alegre conheceu, na manhã desta quinta-feira (28/11), o projeto Lendo e Aprendendo, desenvolvido pelas professoras da Escola Simões Lopes Neto, localizada no Bairro Teresópolis. A visita integra a Caravana das Boas Práticas Pedagógicas, cujo objetivo é conhecer, registrar e socializar práticas pedagógicas desenvolvidas por escolas públicas e privadas localizadas na capital.

Foto Desirée Ferreira/CMPA
A vereadora Sofia Cavedon (PT), presidente da Cece, acompanhou as apresentações dos trabalhos dos alunos de 7ª e 8ª séries, que traziam como tema A Importância da Leitura. Os estudantes produziram vídeos, telejornais, peças de teatro, além de livros com frases de autores sobre a importância da leitura e uma autobiografia dos alunos, contando a infância de cada um. Segundo a professora Camila Vargas, o objetivo do trabalho é incentivar a leitura e fazer com que os alunos percebam a importância e o prazer de ler.

Durante a visita, a diretora, Nilva Maria da Silva Fraga, destacou que este é o primeiro ano do projeto na escola. “Começamos a dar andamento ao projeto em março, e está sendo muito gratificante. Temos um bom grupo de professoras de português e notamos a diferença em nossos alunos. Encontramos eles lendo na hora do recreio, eles estão sugerindo leituras, e o mais importante: não estão lendo porque são obrigados, mas porque estão gostando. Nós notamos isso”, afirmou.

Foto Desirée Ferreira/CMPA
Dentro do projeto, as professoras pedem um caderno a mais, que fica em um armário na sala de aula. Os alunos escrevem toda semana, ou mês, sobre os livros que leram. Na escola, também há o "cantinho da leitura", no corredor existem livros e revistas.

“A Caravana das Boas Práticas Pedagógicas aprende muito com as instituições visitadas”, afirmou Sofia.

As séries iniciais da escola fazem parte do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, um compromisso formal assumido pelos governos federal, do Distrito Federal, dos estados e municípios com o intuito de assegurar que todas as crianças estejam alfabetizadas até os oito anos de idade.

Fonte: Portal da CMPA.

Quatro jornalistas prestam depoimento na CPI da Ocupação

Vereadores que integram a CPI da Ocupação da Câmara Municipal de Porto Alegre colheram o depoimento de quatro jornalistas na manhã desta quinta-feira (28/11). O relator da comissão, Márcio Bins Ely (PDT), questionou a todos acerca das impressões relativas à ofensa à liberdade de imprensa e expressão durante a invasão do Legislativo, ocorrida de 10 a 18 de julho de 2013.

Sul 21 

Foto Elson Sempé Pedroso/CMPA
O primeiro a falar foi o fotógrafo Ramiro Furquim, do jornal eletrônico Sul 21. Ele afirmou ter visto vários jornalistas dentro da Câmara. Mesmo assim, reconheceu que alguns veículos de imprensa foram impedidos de entrar. “Sei que a Zero Hora e a RBS não conseguiram entrar. Na verdade, entraram e foram hostilizados, mas ninguém bateu neles. Tentei interceder a respeito de uma repórter do Correio do Povo, mas o pessoal não concordou. Eles fizeram o credenciamento deles.”

Furquim comentou o episódio envolvendo Elson Sempé Pedroso, fotógrafo da Câmara. “Não vi a agressão, mas vi as imagens. Isso foi lamentável, mas acho que foi um fato isolado. Conversei com os ativistas sobre o modo de tratar a imprensa. Disse que isso não era interessante para o bom debate que eles estavam fazendo a respeito do transporte público”, salientou.

Sobre possíveis depredações do patrimônio, Furquim contou que não viu nada pichado ou quebrado. “Vi um pessoal muito organizado e com boa vontade de deixar tudo como estava antes da ocupação. Aproveito para dizer que considero que foi uma ocupação, dado o contexto das manifestações, da luta pelo passe livre e pelos esclarecimentos sobre o valor da passagem de ônibus. Chamo de ocupação porque 30 mil pessoas saíram às ruas de Porto Alegre e esta Casa sequer cogitou convidá-los a entrar aqui.” 

Leia também no Sul21:
Jornalistas depõem na CPI que investiga ocupação da Câmara de Porto Alegre

Zero Hora

Foto Elson Sempé Pedroso/CMPA
Acompanha por uma advogada do Grupo RBS, a repórter fotográfica Adriana Franciosi, de Zero Hora, se limitou a falar sobre fatos, sem emitir opiniões pessoais. “Estava mandando fotos para o jornal quando os vereadores resolveram sentar no chão para negociar com os manifestantes. Até aquele momento todos os veículos estavam cobrindo normalmente. Foi quando os manifestantes começaram a gritar contra a RBS TV e expulsaram, com empurrões, o cinegrafista e também a repórter, que foram colocados para fora. Fotografei tudo isso.”

Adriana lembrou que a repórter expulsa chegou a chorar. “Ela foi cercada por cerca de sete pessoas que passaram a hostilizá-la por ela ser da Zero Hora. Ela tentou dialogar, de uma forma inocente. Informou o ocorrido ao editor, que determinou que todos saíssem do local. No dia seguinte, tentamos entrar e fomos impedidos por um grupo que estava na porta”, relatou, antes de também prestar solidariedade ao colega Sempé.

Rádio Guaíba 

Foto Elson Sempé Pedroso/CMPA
O repórter Gabriel Jacobsen, da Rádio Guaíba, informou que teve pequena participação na cobertura dos fatos. “Foi numa única oportunidade e tive livre acesso por todas as dependências da Casa. Na porta do plenário, me disseram que não estavam aceitando a entrada da grande mídia, mas fui tratado cordialmente”, garantiu.

Jacobsen relativizou a situação. “É bastante comum aos jornalistas não terem acesso a todas as salas, a todas as informações. Isso é normal na vida dos jornalistas. Dessa vez, não houve uma assessoria, como há em outros casos.” Antes de terminar, pediu para fazer um comentário. “Sou usuário de ônibus e acredito que não teríamos esta CPI se houvesse o mínimo de respeito a quem usa o transporte coletivo.”

Veja a íntegra da matéria no Portal da CMPA.

Seminário Diálogo: Rumo a Metrópole que Queremos

Foto Marta Resing
As alternativas de mobilidade urbana, para a Capital e Região Metropolitana, que privilegiem os cidadãos e não os veículos, foram debatidas nesta quarta-feira (27/11) pela Bancada do PT na Câmara de Vereadores de Porto Alegre em um encontro, que reuniu trabalhadores, parlamentares, especialistas, além de representantes de empresas públicas como a EPTC, Trensurb, EGR e Metroplan. O 2º Seminário Diálogo: Rumo a Metrópole que Queremos, discutiu a instituição de um Sistema de Gestão do Transporte Público de Porto Alegre e Região Metropolitana, através do projeto de lei 29/13.

A proposta, construída pelos vereadores da Bancada do PT, prevê a criação do Fundo Público de Transporte Urbano (FPTU), do Sistema Integrado de Bilhetagem de Transporte Urbano (SIBTU) e os instrumentos de transparência e controle social da gestão.

Foto Marta Resing
A partir da constatação de que mobilidade não é apenas transporte, mas todos os elementos que interferem na locomoção das pessoas, desde calçadas, placas, iluminação, limpeza urbana, o debate apontou para a necessidade do poder público enfrentar com radicalidade o império dos carros nas cidades, investindo em alta tecnologia.

Hoje, Porto alegre conta com 1.800 ônibus que fazem 33 mil viagens até o Centro da cidade. um quilômetro de pista para aeromóvel, cinco quilômetros de Trensurb, 400 bicicletas, 20 quilômetros de ciclovias e 600 mil automóveis.

O seminário discutiu ainda as estratégias de integração entre os diferentes modais do transporte público, a melhoria da acessibilidade, a segurança dos usuários e os desafios da Política Nacional de Mobilidade Urbana, instituída pelo governo Federal.

Fonte: Assessoria Bancada do PT.

Hoje: Plenária de13 anos de Mandato e os Desafios de um Novo Ciclo

Arte Mario Pepo
Plenária de Mandato - Sofia Cavedon, com a participação de Raul Pont!

A abertura do nosso encontro terá Demétrio Xavier com voz e violão.

São 13 anos fazendo juntos! Com esse balanço vamos continuar, coletivamente, a projeção de nossas futuras escolhas!

Também teremos um Ato de Filiação, quando receberemos novos e novas filiadas(os) ao PT!

Contamos com a tua presença!

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Nesta quarta: Seminário Diálogo: Rumo a Metrópole que Queremos

A Bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) da Câmara Municipal de Porto Alegre promove nesta quarta-feira (27/11), às 18 horas, o Seminário Diálogo: Rumo a Metrópole que Queremos, com a instituição de um Sistema de Gestão do Transporte Público de Porto Alegre e Região Metropolitana, PLCL 29/13.

O Seminário, que será no Plenário Ana Terra da Câmara de Porto Alegre (Avenida Loureiro da Silva, 255 – Centro Histórico), tem por objetivo estabelecer um amplo debate com os diversos setores da sociedade de Porto Alegre e Região Metropolitana, a fim de provocar uma profunda reflexão sobre o modelo de gestão do Transporte Público da capital.

O encontro contará com a participação de Sindicatos, Centrais Sindicais, usuários do transporte público, Conselhos, gestores, parlamentares e autoridades.

PT quer Sistema de Gestão Pública de Transporte Urbano 

O PLCL 29/13 é um Projeto de Lei Complementar do Legislativo, construído pelos vereadores da Bancada do PT e institui o Sistema de Gestão Pública de Transporte Urbano, compreendendo a gestão do Fundo Público de Transporte Urbano (FPTU), o Sistema Integrado de Bilhetagem de Transporte Urbano (SIBTU) e os instrumentos de transparência e controle social, e dá outras providências.

Conheça o projeto.

Programação Seminário 

18h – Abertura Oficial
19h30min – Painés com:
Luiz Carlos Bertotto - Diretor da Empresa Gaúcha de Rodovias
Marcus Antônio Damiani - Diretor de Transporte da Metroplan

Eixos de Discussão: 
- Estratégias de integração entre os diferentes modais do transporte público, com a melhoria da acessibilidade e mobilidade das pessoas no Município de Porto Alegre e Região Metropolitana;
- Consolidar a gestão democrática e o controle social, como instrumento que garanta a efetivação de um novo modelo de transporte público para a cidade de Porto Alegre e Região Metropolitana;
- Segurança e Transporte Público - Diagnóstico do Sistema do Transporte público na Cidade de Porto Alegre e Região Metropolitana;
- Desafios Políticos da Implementação da Lei. 12.587/2012;
- Planos de Mobilidade Urbana.
20h30min – Apontamentos dos Debatedores – Os cinco Vereadores da Bancada farão apontamentos de base conceitual tendo como parâmetro, projetos de sua autoria ou de Bancada, em tramitação na Câmara Municipal;
21h - Debate com Plenário
21h30min – Considerações finais dos Painelistas
22h - Encerramento

Bancada do PT 
Engenheiro Comassetto - Líder da Oposição - (@comassettopt)
Alberto Kopittke – (@albertolk)
Marcelo Sgarbossa - (@msgarbossars)
Mauro Pinheiro - (@mauropinheiro)
Sofia Cavedon – (@sofiacavedonPT)

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Livreiros e editoras mantêm divergências sobre venda em escolas

Foto Ederson Nunes/CMPA
Previsto para ser votado na semana que vem na Câmara Municipal de Porto Alegre, o projeto de lei 273/13, que prevê exigência de alvará de funcionamento para atividade de venda de livros dentro de escolas particulares da Capital, voltou a ser discutido na Comissão de Educação (Cece) nesta terça-feira (26/11). A proposta é da vereadora Sofia Cavedon (PT), que também preside a Cece. Depois de mais de uma hora e meia de debates, livreiros, distribuidores e editoras não chegaram a um acordo. Os donos de livrarias criticam a venda direta feita por distribuidores ou editoras nos colégios. Já os distribuidores sustentam que pais e alunos obtêm preços melhores com a venda direta.

“A questão dos livreiros é com as grandes editoras de livros didáticos. E o projeto não contempla a decisão de proteger as livrarias”, afirmou Clô Barcellos, do Clube dos Editores. Segundo ela, a ideia era de que a lei ajudaria na sobrevivência das livrarias. “Mas a redação não é efetiva porque retira a livraria do processo de compra das escolas.”

O gerente comercial da editora Moderna, Gilmar Pagnussat, reivindicou mais incentivo à venda direta. “O custo da divulgação do livro didático é muito alto. Para vender três livros didáticos é preciso dar um ao professor como divulgação. Já no caso de livros de literatura, é um de divulgação a cada 15”, comparou. Também cobrou a presença de representantes de escolas na discussão.

Como encaminhamento, a presidente da Cece propôs a inclusão de um novo parágrafo no artigo 2º do projeto, que diz que “a comercialização de livros didáticos e apostilas pedagógicas produzidas por editoras, nas dependências de instituições de ensino fundamental, ensino médio e ensino superior com Alvará de Localização e Funcionamento, deverá ser disponibilizada para as demais livrarias com as mesmas condições de venda”.

Pela nova redação, estariam de fora dessa condição os livros comercializados em feiras e eventos com a presença do autor ou de um mediador de leitura. “Haverá uma nova reunião na Câmara do Livro para buscar um acordo”, informou Sofia.

Veja também: 
Livreiros apresentam projeto

Fonte: Portal da CMPA.

Caravana das Boas Práticas Pedagógicas visita a Escola Estadual Professor Sylvio Torres

Escola da zona Leste promove práticas de incentivo à leitura 

Foto Francielle Caetano/CMPA
A Caravana das Boas Práticas Pedagógicas, cujo objetivo é conhecer, registrar e socializar práticas pedagógicas desenvolvidas por escolas públicas e privadas localizadas na capital, visitou na tarde desta terça-feira (26/11) a Escola Estadual de Ensino Fundamental Professor Sylvio Torres, no bairro Agronomia, na zona Leste. A vereadora Sofia Cavedon (PT), presidente da Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece) da Câmara Municipal de Porto Alegre, foi recebida pela vice-diretora da instituição, Ione Mandelli.

Foto Francielle Caetano/CMPA
A Escola Professor Sylvio Torres desenvolve todos os anos projetos pedagógicos diferenciados e em 2013 o foco foi o estímulo à leitura. Professoras de 1ª a 5ª série, auxiliados pelo projeto do governo do Estado Autor Presente, iniciativa conjunta das secretarias da Educação (Seduc) e da Cultura (Sedac), por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Escolares e do Instituto Estadual do Livro (IEL), recriaram com os alunos as poesias do livro Kimbalo, de Helo Bacichette, através de dobraduras, pinturas e desenhos.

Durante a visita, a vice-diretora destacou a situação precária a qual a escola se encontra, como, por exemplo, a biblioteca, que não passa do tamanho de uma sala de aula e é extremamente abafada devido ao telhado coberto por folhas de zinco. “Precisamos de investimentos para melhorar esta estrutura, também não temos nenhum bibliotecário e a escola funciona três turnos. A direção tem certeza que se a biblioteca estivesse aberta incentivaria muito mais no hábito da leitura dos alunos”, afirmou.

Foto Francielle Caetano/CMPA
Ione ainda disse que o pátio exige reformas, pois não há escoamento de água, além de não ser possível ter aula de educação física quando chove, já que a escola não tem quadra coberta. “Quando chove, chove também dentro da sala de aula. Nossas verbas hoje são para consertos apenas, não conseguimos investir em melhorias para o ambiente acadêmico”, lamentou.

Conforme avaliação da vereadora Sofia, o trabalho pedagógico que a escola desenvolve está positivo comparado à estrutura que a escola oferece. “O projeto Autor Presente estimula a leitura e instiga os alunos a superar as próprias condições. Precisamos ajudar, contudo, que a escola encontre respostas no poder público para que melhore sua estrutura. Isso é fundamental para professores e alunos”, destacou. 

Fonte: Portal da CMPA.

Escola Amigos do Verde quer reconsideração do decreto que institui a área de proteção ambiental

Foto Ederson Nunes/CMPA
Novamente o Governo Municipal age às escondidas e revogada  a Área de Preservação Ambiental, impondo uma obra viária que reduz espaço da escola e põe em risco o seu funcionamento!” – Sofia Cavedon 

A Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece), da Câmara Municipal de Porto Alegre, presidida pela vereadora Sofia Cavedon (PT), reuniu na noite desta segunda-feira (25/11), diretores da Escola Amigos do Verde, entidades ambientais, pais e integrantes da Prefeitura Municipal, para debater o licenciamento ambiental da obra da trincheira da Avenida Cristóvão Colombo, a preservação das espécies remanescente na região e a revogação do decreto da Área de Proteção Ambiental (APA), onde está situada a Escola. As discussões foram realizadas na sede da instituição.

Foto Ederson Nunes/CMPA
A Escola Amigos do Verde está localizada em área de 3,6 mil metros quadrados de área verde, com bosque de árvores nativas, em frente ao local projetado para as obras da trincheira no bairro Higienópolis. Silvia Carneiro, uma das diretoras da escola, fez um apelo ao abrir a reunião. “A comunidade escolar compreende a necessidade de obras que visem ao desenvolvimento da cidade, mas o Poder Público deveria considerar também os impactos sociais e ambientais acarretados por esse tipo de empreendimento”. 

Representantes da escola, juntamente com moradores do entorno onde deverão ocorrer as obras da trincheira, solicitaram a imediata reconsideração do local como Área de Proteção Ambiental (APA). "Nós gostaríamos que o Executivo Municipal apresente outras alternativas para a realização da obra, preservando a área e gerando menor impacto no entorno", disse Silvia. Os moradores e a comunidade escolar ficaram surpresos ao saber que o decreto de APA da região havia sido revogado. "Somente agora soubemos disso. E o recuo projetado para as obras da trincheira, inicialmente calculado em dois metros, agora já está em 4,5 metros”, disse.

Foto Ederson Nunes/CMPA
Silvia Carneiro destacou que a área verde onde está situada a escola possui grande biodiversidade. Segundo ela, o terreno foi considerado como Área de Proteção Ambiental (APA) em 13 de julho de 1990, por decreto municipal. Também havia sido dado início a processo, na prefeitura, solicitando o tombamento do prédio que abriga a Amigos do Verde – antiga propriedade da família Neugebauer, construída em 1936 – "em razão de seu inestimável valor histórico".

Muito emocionada, Paula Noronha, advogada, mãe da estudante Alana Correa de 8 anos, questionou integrantes da Prefeitura Municipal quais critérios foram utilizados para avaliar os impactos sociais dessa obra. "Nós não estamos aqui apenas discutindo os impactos sociais e ambientais. Estamos aqui debatendo educação. Nossos filhos foram educados dentro desta área verde. Foram ensinados a cuidar das plantas. Como vou explicar para Alana que vão cortar dezenas de árvores da Escola que ela estuda para ampliar uma rua”, defendeu Paula.

Foto Ederson Nunes/CMPA
A arquiteta Mirian Sartori Rodrigues, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (IPHAE-RS), informou que já existe um processo de tombamento para o prédio onde está localizado a escola, de quando Olívio Dutra era prefeito de Porto Alegre. “A Prefeitura Municipal está desrespeitando este processo e a preservação deve ser feita”, disse Mirian.

O representante da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Emerson Correa mostrou uma notificação extrajudicial pedindo que o imóvel da Igreja Luterana do Brasil, onde está a Escola, seja desapropriado no prazo de 60 dias. O engenheiro da Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov), responsável pela obra, Fabrício de Paroli, disse que todas as intervenções feitas no local até agora foram devidamente autorizadas pela Smam e testes com ônibus da Companhia Carris Porto-Alegrense foram realizados, por isso o recuo está em 4,5 metros.

No final, foi encaminhada uma nova reunião para o dia 2 de dezembro para saber a resposta do Executivo municipal sobre a revogação da Área de Proteção Ambiental (APA) e tombamento.

Fonte: Portal da CMPA.