domingo, 12 de maio de 2013

Mulheres mães

Foto Divulgação SC
A mãe que homenageamos hoje não é mais aquela do “avental todo sujo de ovo”.

Não é que ela não faça comida, é que não dá mais tempo de colocar avental!

É se vestindo, pintando, calçando que ela prepara o café, atende o tema, marca consulta para o filho.

O tempo ficou curto para a mulher mãe que acumulou funções, somou responsabilidades, entrou corajosamente nos espaço público, mas não conseguiu alterar o privado.

Ela saiu de casa para ajudar na sustentação da família, da exclusiva tarefa de cuidado, de reprodução da vida, e encontrou um mundo dominado pelo machismo, pelo desprestígio da mulher enquanto ser político, de liderança, suportando o estigma milenar da subalternidade, da submissão, da condição de dominação.

A violência, face mais dura desta condição, a acompanha na medida que toma decisões, busca sua liberdade, constroi sua autonomia financeira. A violência - motivada por ciúmes ou sentimento de posse - mostra que o direito à integridade física psicológica da mulher não se instalou junto com sua incorporação no mercado de trabalho.

Foto Divulgação SC
Enquanto não forem divididas igualmente as tarefas relacionadas à manutenção e desenvolvimento da vida, a mulher estará em grande desvantagem para tratar dos negócios públicos, para realizar-se plenamente, para mudar o mundo com a sua contribuição, para ser vista e respeitada como sujeito de direitos, de liberdade, de inteligênica.

Não é um processo simples nem está concluso, mas é inexorável! É um processo em andamento, duro, sofrido, mas de riqueza ímpar por ser instalador de novas relações: inteiras, solidárias, dialógicas.

A mãe é uma mulher em transição. Precisa de tempo e apoio para se tornar uma intelectual e ser mãe. Para responder ao desafio da educação, da cultura, da economia, da medicina – e ser mãe.

Precisa de parceria para usar o tempo para as reuniões, cursos, horas extras e ser mãe.

Precisa ser amada e cuidada, porque ama e cuida – por ser mãe.

Serão precisos homens e mulheres feministas para que a mãe possa ser mulher e feliz.

E serão todos mais felizes!

Feliz dia da mãe/mulher!

Sofia Cavedon.