domingo, 31 de março de 2013

Da Coragem e da Ressurreição

Imagem Web
No ano 2013 da Graça de Nosso Senhor, o dia da Ressurreição, o da Páscoa dos cristãos coincidiu com o dia do golpe militar de 1964 no Brasil.

Coincidência determinada pela lua cheia, que ordena o calendário da quaresma.

Quem a viu apontando amarela no mar ou entre os contornos escuros das araucárias – localização que o feriado permite – talvez passe indiferente à data e às características coincidentes: a coragem e a ressurreição. Jesus tinha trinta e três anos quando foi torturado e morto – há quase 2000 anos.

O poeta Luiz Eurico Tejera Lisboa tinha vinte e quatro anos no Ano das Graças de 1972, quando foi torturado e morto. Jesus desafiava os senhores da Lei, colocava-se ao lado dos pobres – deles era o reino dos céus e o alimento aqui na terra - questionava o apedrejamento da prostituta, ensinava a dar a outra face, pregava a justiça.

Ico - como escreveu no Manifesto dos estudantes gaúchos – lutava pelo alimento, o abrigo e a educação como direitos inalienáveis com a consciência de que só a democracia plena os garantiria – e lutava por ela.

Ico Lisboa e Jesus de Nazaré queriam liberdade, equidade, justiça.

Milhares de anos e dogmas os separam, a coragem e a ressurreição os une.

Jesus ressuscita pela palavra e testemunho de quem acreditou nas dele e resiste a uma igreja que se deixe seduzir pelo poder e que se alie à ordem desigual. Ressuscita em quem entendeu o quanto o “reino de deus” é libertário e igualitário, aqui e agora.

Imagem Web
Ico vive nos jovens que sobreviveram e não abandonaram a luta como a presidenta da República deste mesmo Brasil - que sobreviveu às torturas e agora enfrenta a miséria, amplia ações reparadoras, demarca terras quilombolas e indígenas, instala a Comissão da Verdade.

Ico ressuscita nas comissões da verdade que passam o Brasil a limpo, que identificam homens e locais que torturaram, recupera rostos e histórias, para que nunca mais se repita.

A coragem os identifica: não sem dor, não sem fraquejar, não sem desespero.

Coragem que é gerada pelos sonhos, por ideais, pela profunda solidariedade.

Coragem que desacomoda, que desalienia, que mobiliza. Páscoa é ressurreição, Páscoa é coragem!

E há muito por fazer!

Sofia Cavedon - Vereadora petista da capital.