segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Vocês estarão no nosso 2013...

Foto Divulgação SC
Eu gosto dos rituais de passagem,
de marcação de tempo,
de missas, jantares, posses, despedidas.
Te empurram para balanços, para encontros e para abraços.
Fazem paradas, cortes, pausas...
Saramago retirou os parágrafos, usava pouco ponto
- seu único defeito -
esperar o novo capítulo para respirar, às vezes é tarde...
Abrir um vinho, preparar uma salada, dormir engembrado
ver que a irmã amadureceu
descobrir que os dramas familiares de criança
hoje se multiplicam pelas famílias derivadas
Arte Mario Pepo
Saber que “somos como nossos pais”
se não paramos, conversamos, comparamos:
destinos, escolhas, possibilidades!
Eu adoro rituais!
Rever propósitos, acrescentar outros,
ouvir pela centésima vez a linda história do menino Jesus
lembrar com Pessoa
que a história de cada um é tão verdadeira
quanto aquela!
Precisava abraçar muita gente
pela intensidade de 2012:
as que me seguraram na dureza
os que vibraram nas vitórias
os que me desafiaram
Foto Divulgação SC
a ser melhor
as que ampliaram minhas convicções
pelo contraponto
pela comunhão!!!
Como as mulheres de Atenas,
estou tecendo um pano
nesta virada.
Nele irão os botons,
as memórias,
os bordados,
Foto Mario Pepo
que marcaram nossas lutas
vieram das viagens..
mas para deles
reinventar,
não esperar!
Vocês estarão ali,
estarão no nosso 2013
que faremos
melhor,
mais intenso,
mais combativo
Arte Mario Pepo
da injustiça,
mas também
mais divertido
e amoroso!
Vamos a ele!!!

Sofia Cavedon

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Alunos de escolas federais serão incluídos no Vou à Escola

O Plenário da Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou hoje (20/12) projeto que inclui alunos de escolas públicas federais no programa Vou à Escola.

A proposta, de autoria da vereadora Sofia Cavedon (PT/PoA), cria também a Comissão Coordenadora do programa.

O Vou à Escola beneficia atualmente, mais de mil alunos com passagens de ônibus gratuitas, estudantes carentes de escolas públicas municipais e estaduais dos ensinos Fundamental e Médio.

Foto Mariana Fontoura/CMPA
"O projeto de lei visa a corrigir uma lacuna da Lei nº 10.996/2010, que instituiu o Vou à Escola. A intenção é estender o benefício desse programa aos alunos de instituições federais, garantindo o direito ao transporte escolar gratuito a todos os alunos carentes que não conseguiram vaga em uma escola próxima à sua residência e que não possam arcar com o custo da passagem escolar. Essa ação visa a diminuir a evasão escolar, incentivar os estudos e facilitar o acesso de jovens à educação", observa Sofia.

Matéria publicada no Portal da CMPA.

Creches Comunitárias integrarão o Conselho do Fundeb

A Câmara Municipal aprovou, nesta quinta-feira (20/12), projeto de lei complementar do Legislativo que inclui os representantes das creches comunitárias conveniadas com o Executivo Municipal ao  Conselho Municipal de Acompanhamento e Controle Social do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). A proposta foi apresentada pela vereadora Sofia Cavedon (PT/PoA).

"Temos que encarar as lacunas existentes hoje no Conselho. As creches precisam ser representadas já que são mais de 200 existentes na Capital", defende a vereadora.

O projeto aprovado altera o caput do artigo 2 e o parágrafo segundo do artigo 3, incluindo inciso IX no caput do artigo 2 da Lei Complementar nº 589, de 19 de fevereiro de 2008.

Fonte: Portal da CMPA.

Sofia diplomada para mais um mandato na Capital

Foto Tatiana Feldens/PT-PoA 
Sofia Cavedon (PT-PoA), juntamente com a Bancada eleito do Partido dos Trabalhadores, foi diplomada nesta quarta-feira(19) pelo TRE/RS para o seu quarto mandato na Câmara de Vereadores de Porto Alegre.

Diploma Ação

Foto Ramiro Furquim/Sul21 
Ontem o TRE certificou
que sim
o povo nos delegou
parte de poder
que dele emana
para agir
 em seu nome
por mais um mandato.
Não é diploma
de mérito,
é depósito de esperança
é pedido de combate
de espanto
de inquietude
de mudança,
porque, sendo ele
instrumento da Democracia,
é delegação
para realizá-la
Substantiva.
O recebemos
com a gravidade
 que contém,
com a responsabilidade
que enseja,
mas
com a alegria
das muitas vidas
que seguem sonhando
sonhos coletivos!

Sofia Cavedon

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Sofia será diplomada pelo TRE para seu novo mandato

Foto Marta Resing
Sofia Cavedon será diplomada nesta quarta-feira - 19 de dezembro – pela Justiça Eleitoral do RS, para o seu quarto mandato na Câmara Municipal de Porto Alegre. Sofia foi eleita a vereadora mais votada do Partido dos Trabalhadores (PT) na capital.

A solenidade ocorrerá às 16h, no Auditório Dante Barone da Assembleia Legislativa do Estado do RGS (Praça Marechal Deodoro, 101 – Centro Histórico).

A cerimônia representa o ato solene em que a Justiça declara oficialmente quem são os escolhidos pelos eleitores para assumir prefeituras e câmaras de vereadores.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Legislativo confere Honra ao Mérito ao promotor Luciano Brasil

Foto Francielle Caetano/CMPA
O promotor Luciano de Faria Brasil, da Promotoria de Justiça de Habitação e Defesa da Ordem Urbanística da Comarca de Porto Alegre, recebeu na tarde desta terça-feira (18/12) o diploma de Honra ao Mérito. A homenagem conferida pela Câmara Municipal da Capital, por solicitação da vereadora Sofia Cavedon (PT), teve por local o Plenário Otávio Rocha. Além da esposa, Adalgisa Weidmann Chaves, familiares e amigos, também estiveram presentes lideranças comunitárias que representaram dezenas de pessoas beneficiadas pela atuação profissional do homenageado.

Sofia, ao saudar Luciano Brasil, citou seu currículo acadêmico e disse ser ele “um cidadão que participa da elite intelectual da sociedade, o que só destaca suas opções de atuação”. “É também professor, e para nós isso tem um valor especial”, salientou. “Mas sua prática profissional é o que mais justificou o destaque oferecido”, completou. A vereadora afirmou ser o tema da habitação popular na Capital desafiador. “Brasil trabalha numa área das mais conflituosas, a da habitação e ordem urbanista, e nela tem uma atuação decisiva para a conquista de moradia por milhares de pessoas”, afirmou.

Foto Francielle Caetano/CMPA
Em seu agradecimento, Brasil lembrou que a Promotoria de Justiça de Habitação e Defesa da Ordem Urbanística existe desde 2005, tendo sido criada para atuação especializada, entre outras áreas, na regularização fundiária. “Havia necessidade de uma sensibilidade para com os problemas das comunidades mais carentes que, por razões históricas, são aquelas que mais necessitam de auxílio para obter seus direitos mais elementares e proteção às suas necessidade mais básicas”. “Essa promotoria veio suprir isso”, explicou. “Essa caminhada não para. Não temos ponto de chegada, apenas ponto de partida”, finalizou. 

Acompanharam a cerimônia, dirigida pelo vereador Carlos Todeschini (PT), os vereadores Maria Celeste (PT), Engenheiro Comassetto (PT), Bernardino Vendruscolo (PSD) e Reginaldo Pujol (DEM). Também estiveram presentes Marcelo Frison, secretário de Estado de Habitação e Saneamento, e Marcelo Lemos Dornelles, subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Institucionais.

Homenageado

Natural de Porto Alegre, Brasil ingressou no Ministério Público do Rio Grande do Sul em dezembro de 1994 e atuou nas Promotorias de Lagoa Vermelha (1995), Bento Gonçalves (1996) e Lajeado (1999). Em 2002 foi designado para atuar como promotor corregedor e em 2005 foi designado para o cargo de primeiro promotor de justiça da Promotoria de Justiça de Habitação e Defesa da Ordem Urbanística da Comarca de Porto Alegre. Leia mais...

Matéria publicada no Portal da CMPA.

Reforma em Porto Alegre: oposição critica novos CCs

Sul 21 - 18/12/12 ... e base justifica melhora em serviços

Os projetos de Lei da Reforma Administrativa aprovados pela Câmara para serem implantados na gestão do prefeito José Fortunati (PDT), terão impacto anual de cerca de R$ 8, 5 milhões 

A Câmara de Vereadores aprovou com ampla maioria os projetos de Lei da Reforma Administrativa, que irão resultar no redesenho da máquina pública. A reforma contou com voto inclusive de alguns partidos da oposição, como o PSB, mas contou com críticas de parlamentares do PT e do PSOL, principalmente em função da criação de novos cargos de confiança (CC’s).

O conjunto de propostas terá um impacto de R$ 8,5 milhões ao ano. Entre as mudanças propostas está a de que todas as secretarias passarão a ter secretários adjuntos.

Foto Elson Sempé Pedroso/CMPA 
A vereadora Sofia Cavedon do PT enumera críticas em relação a aprovação dos projetos. Segundo ela, “a criação de ‘micro-secretarias’, o grande número de CCs e a baixa quantidade de funcionários” não são boas opções de gestão para a cidade. Para Sofia, a geração de CCs tem o sentido de acomodar membros de partidos políticos da base aliada de Fortunati, ao invés de dar eficiência à gestão.

Também está prevista na reforma a criação do Escritório de Regulamentação Fundiária, que pretende melhorar o encaminhamento de construção de empreendimentos, edificações e regularização fundiária. Sofia questiona a posição da prefeitura de que isso trará agilidade na aprovação de projetos. “Foram criados vários CCs, sendo que o nosso gargalo está nas equipes técnicas e de trabalho permanente. A prefeitura faz um alarde dizendo que está mudando para responder mais agilmente a aprovação de projetos, mas isso não se faz com gestor comissionado, mas com equipes de técnicos”, critica.

A vereadora vê ainda outro problema nessa celeridade proposta pelo governo. “Nós não podemos transformar tudo em aligeiramento político, que favorece grandes obras e que não tem contrapartida com o interesse público”. Sofia cita a obra da Arena do Grêmio, que, segundo ela, foi aprovada pela Câmara com a isenção de contrapartidas pela empresa responsável pela obra, a OAS. Conforme a petista, foram reservados em torno de R$ 80 milhões para as obras de circulação no entorno do estádio, enquanto que no mesmo local moram cerca de 2 mil famílias em situações precárias.

Leia a integra da matéria no Portal do Sul21.

Leia também: - Reforma administrativa em Porto Alegre terá custo de R$ 8,5 milhões ao ano

Cece volta a debater situação dos alunos surdos do CMET Paulo Freire

A vereadora Sofia Cavedon (PT) questionou a decisão da Secretaria em agrupar todos os alunos surdos da rede municipal de ensino em uma mesma escola e observou que a Salomão Watnick está em processo de ampliação, não tendo ainda ensino para jovens e adultos. Ela também considerou a posição da SME antidemocrática. “A secretaria tenta consolidar uma opinião e presta um desserviço aos alunos surdos”, disse a vereadora, enfatizando que “é extremamente grave o que estamos presenciando, além da indiferença com pais e alunos”.
Foto Jonathan Heckler/CMPA

Alunos querem permanecer no CMET 

A Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece) da Câmara Municipal de Porto Alegre deu seguimento à reunião que tratou, na última terça-feira (11/12), sobre a decisão da Secretaria Municipal da Educação (Smed) de retirar alunos surdos do projeto político-pedagógico do Centro Municipal de Educação do Trabalhador (CMET) Paulo Freire.

De acordo com a Smed, 61 alunos que estudam no CMET Paulo Freire seriam transferidos para a Escola Municipal de Ensino Fundamental de Surdos Bilíngue Salomão Watnick no início de 2013. Ainda de acordo com a secretaria, a intenção é transferir todos os alunos surdos para uma única escola municipal, a Salomão Watnick.

Foto Jonathan Heckler/CMPA
Há cerca de um ano, o CMET Paulo Freire está sediado no prédio antes ocupado pelo colégio Santa Rosa de Lima, na Rua Santa Teresinha, Bairro Santana. O diretor do CMET, Gilberto Maia, disse que a iniciativa da transferência aconteceu por solicitação da Smed. “A partir daí os trâmites começaram, inclusive com reuniões com o Conselho Municipal de Educação”, disse Maia.

A presidente do Conselho Municipal de Educação, Regina Scherer, disse que o Conselho Municipal está envolvido com esse processo desde 2010. "O princípio da gestão democrática está estabelecido legalmente e não vamos abrir mão dele. Não podemos analisar um projeto que não tenha sido aprovado pela comunidade escolar."

Leandro da Silva Lopes, estudante do CMET Paulo Freire, criticou a decisão da SME em transferir os alunos. " Fui informado de que eu terei de mudar de escola no ano que vem. Mas a Escola Salomão não é boa, fica mais longe, e o deslocamento de ônibus é mais demorado. Nossa vontade tem de ser respeitada, queremos ficar no prédio atual.”

No final do encontro, por solicitação do presidente da Cece, ficou acertado que será marcada uma reunião com a secretária Cleci Jurach.

Leia a integra da matéria no Portal da CMPA

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Ministro Pepe Vargas visita a Câmara da Capital

Foto Divulgação Gabinete
A convite da vereadora Sofia Cavedon (PT-PoA), o ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA), deputado Pepe Vargas, visitou esta semana a Câmara Municipal de Porto Alegre, sendo recebido pela ataul Bancada do Partido dos Trabalhadores (PT).

Pepe Vargas estava em visita ao Estado para anunciar 90 milhões para Emater e para infraestrutura para os assentamentos do RS. O valor do convênio assinado com o Governo do Estado, é de R$ 18,2 milhões.

Cerca de 7 mil famílias assentadas devem ser beneficiadas com as execuções dos serviços em 38 municípios. A solenidade teve a participação do governador Tarso Genro, e ocorreu nesta segunda-feira (17).

Saiba mais no Portal do Governo do RS

Homenagem a Luciano Brasil será nesta terça

Banco de imagens da web
Iniciativa da vereadora Sofia Cavedon (PT-PoA), o promotor de Justiça de Habitação e Defesa da Ordem Urbanística do Ministério Público/RS, Luciano de Faria Brasil, será homenageado com o a outorga do Diploma Honra ao Mérito, em Sessão Solene nesta terça-feira (18), às 17h, no Plenário Otávio Rocha do Palácio Aloísio Filho, na Avenida Loureiro da Silva, 255, em Porto Alegre.

Para Sofia a homenagem a Luciano Brasil deve-se a sua trajetória, que tanto tem contribuído para o exercício da cidadania dos porto-alegrenses, como promotor e professor.

Luciano de Faria Brasil

Promotor de Justiça, Mestre em Filosofia e Doutorando em Filosofia, Luciano de Faria Brasil tem em seu extenso currículo profissional, inúmeras premiações no Concurso “O Melhor Arrazoado Forense”, que vem desde 2008, nas categorias Crime e Cível/Especializada, promovido pela Escola Superior do Ministério Público e pela Associação do Ministério Público do Rio Grande do Sul.

Luciano Brasil ingressou na carreira do Ministério Público do Rio Grande do Sul em dezembro de 1994 sendo, em seguida, nomeado Promotor de Justiça. Atuou nas Promotorias de Justiça de Lagoa Vermelha (1995), de Bento Gonçalves (1996) e de Lajeado (1999). Em 2002 foi designado para atuar como Promotor Corregedor e em 2005, por merecimento, para o cargo de primeiro Promotor de Justiça da Promotoria de Justiça de Habitação e Defesa da Ordem Urbanística da Comarca de Porto Alegre.

Nascido em 15 de setembro 1971, em Porto Alegre, Luciano Brasil também tem uma atuação significativa no Magistério, como palestrante em diferentes disciplinas na Escola Superior do Ministério Público, entre outras instituições renomeadas nacionalmente. Atualmente é Professor da Disciplina “Ações Coletivas” no Curso de Pós-Graduação em Direito Civil e Direito Processual Civil (com ênfase em Processo Civil), no Verbo Jurídico, em Porto Alegre, em abril e maio de 2012.

Como Promotor de Justiça, participa como palestrante em várias conferências, como a que tratou sobre o tema “Competências e responsabilidades dos agentes públicos no processo de desenvolvimento local”, no Seminário “A cidade contemporânea: novos paradigmas e velhos desafios”, promovido pela Fundação Ulysses Guimarães do Rio Grande do Sul.

Sua inserção vai além de palestras e conta com a publicação de dezenas de artigos públicos em veículos de comunicação nacionalmente conhecidos, assim como participou de Capítulos de livros, como Habitar a terra: ética e direito em um mundo pós-metafísico; Olhares sobre o público e o privado; Regulação e antitruste no setor bancário: uma hipótese de lacuna normativa; e Direito Sancionador: sistema financeiro nacional.

domingo, 16 de dezembro de 2012

Sofia presta contas do seu mandato

Foto Mario Pepo
Durante este final de semana (15-16/12) a vereadora Sofia Cavedon (PT-PoA) esteve em vários pontos públicos da cidade prestando contas do seu terceiro mandato na Câmara de Porto Alegre. Eleita para mais um mandato pelo PT, Sofia esteve no Mercado Público, Bom Fim e Brique da Redenção, juntamente com sua assessoria.

Foto Mario Pepo
Ela define o terceiro mandato que se encerra como de combate. “Sintetizado assim: a luta pelo Direito à Cidade e à Cidadania versus a cidade mercadoria”, destaca a vereadora.


Foto Mario Pepo
Na área da cultura, a vereadora destaca a realização do último Sarau do ano, que contou com a presença de diversos artistas apoiadores do mandato. “Nossa mobilização cultural de 2012 encerrou com chave de ouro: Sarau cheio de talentos e amizades, emendas no Orçamento para os Teatros Renascença e Túlio Piva e para a Casa do Artista, além de R$50.000 para a sala do Ballet para Todos na Restinga e R$ 80.000 para fomento do Teatro Glênio Peres”, comemora Sofia.

Novo Mandato

Na quarta-feira (19/12), às 16h, Sofia será diplomada pelo TRE/RS para o seu quarto mandato na Câmara da capital. O evento, aberto ao público, será no Teatro Dante Barone (Assembleia Legislativa do Estado). 

Leia abaixo artigo de Sofia que apresenta a síntese do seu 3º mandato.

Direito à Cidade e à Cidadania X Cidade Mercadoria – Por Sofia Cavedon (PT-PoA) 

Foto Felipe Dalla Valle/CMPA 
Neste terceiro mandato de vereadora que chega ao final, enfrentamos a realização agressiva do modelo que já chegara em Porto Alegre nas primeiras medidas do primeiro governo Fogaça, do fenômeno chamado gentrificação ou instalação do modelo cidades-empresas americano – embalado agora pelo grande negócio “Copa do Mundo”.

Trata-se do “aburguesamento” de áreas das grandes metrópoles que são tradicionalmente ocupadas pelos pobres, com a consequente expulsão dessas populações mais carentes, resultando na valorização imobiliária desses espaços. 

Foto Mario Pepo
Vamos enxergar este processo nas concessões de áreas públicas à exploração privada, como o Araújo Vianna, os quilômetros do Cais do Porto, o do Terminal Rui Barbosa que já confinou ali os camelôs proibidos de estarem nas ruas do centro da cidade – dando lugar a automóveis e negócios, na adoção privada e tentativa de cerca-mento das praças e parques; na proibição das carroças de circularem nas áreas nobres, a proibição da Feira da Economia Solidária ou a Feira do Artesanato de acontecerem no Largo Glênio Peres, etc.

Foto Tonico Alvares/CMPA 
Neste caminho está a tentativa frustrada da venda do Morro Santa Teresa e de construção do Pontal do Estaleiro, onde a organização das comunidades combinada com o Movimento de resistência à privatização da Orla e trabalho de parlamentares de esquerda, constituíram-se em vitórias da resistência ao modelo.

Foto Ricardo Giusti/PMPA
De caráter excludente e privatizador, este processo combina farta distribuição do direito de construir mais nas áreas mais nobres com segregação dos pobres nas áreas mais longínquas, carentes de infraestrutura, de serviços públicos, de acesso à renda. 

Um dos resultados é que nossa capital é a 9ª cidade mais violenta do país. Banidos como ratos indesejáveis, eles se organizam para assaltarem as “despensas” fartas, sem pudor, exibidas nas telas de TV que chegam nos mais miseráveis casebres.

Foto Lauro Alves
E milhares destas moradias precárias coexistem com grandes projetos de modernização e de entretenimento financiados por fundos públicos, alavancados pela iniciativa privada. Emblemática disto é a paisagem do entorno do complexo Arena do Grêmio

Associados aos políticos, ao grande capital e aos promotores culturais, os planejadores urbanos, agora planejadores - empreendedores, tornaram-se peças-chave dessa dinâmica - analisa Otília Arantes, in A Cidade do Pensamento Único: Desmanchando Consensos.

Assim que muitas leis foram encaminhadas e apreciadas na Câmara de Vereadores e Assembleia Legislativa que promoveram estes incentivos, impermeáveis a qualquer mecanismo de garantia de retorno ao interesse público geral ou mesmo contrapartidas mitigadoras dos impactos urbanos. Estes todos, via de regra, tem ficado para o estado, em nome do “consenso do desenvolvimento”.

Combatemos esta imoralidade em todas estas iniciativas, emendamos, mobilizamos, votamos contra, denunciamos no Ministério Público e de Contas.

Foto Divulgação Gabinete
Na presidência da Câmara, baixamos nas comunidades para dar visibilidade a esta opção que abandona cruelmente o atendimento das condições básicas de vida digna, subimos nos ônibus, circulamos nas escolas, movimentamos a cultura popular e a produção local – “contrapondo-se ao culturalismo de mercado” - para criar consciência do processo em curso, para empoderar a cidadania, apoiar a resistência.

Apesar de todo este combate, empresto as palavras de David Harvey (geógrafo britânico, com foco na problemática urbana), para afirmar que também aqui “uma nova e radical elite financeira toma conta da cidade liderando uma coalizão pró-crescimento que habilmente manipula o apoio público e combina fundos públicos e privados para promover uma urbanização comercial em larga escala”. 

Os beneficiados e interessados nesta política financiaram larga e generosamente seus representantes na disputa eleitoral e obtiveram vantajosa vitória na combinação disto com o “consenso” criado em torno do crescimento a qualquer preço pela aliança entre os gestores e seu apoio político na Câmara Municipal e Assembleia Legislativa, as incorporadoras, os corretores, banqueiros e os chamados por Harvey de “coadjuvantes igualmente interessados e poderosos”: a mídia, as empresas esportivas, universidades, os políticos, as câmaras de comércio, etc...

A reeleição do nosso mandato, no entanto, tem o compromisso de estar na oposição disto, fortalecendo o movimento de reação que se organiza desde os bairros populares à classe média critica que percebe o destino nefasto de uma cidade que não consegue construir paz e sustentabilidade, fruição e fluidez, se continuar sendo um grande negócio a serviço da acumulação de riquezas e privilégios.

Fortunati faz uma opção clara pela cidade-mercadoria

Foto Lívia Stumpf/CMPA 
Em matéria publicada no jornal Correio do Povo deste domingo (16/12), a vereadora Sofia Cavedon (PT-PoA) manifesta sua crítica ao modelo que atual/futuro governo do município adotou, fazendo de Porto Alegre uma cidade mercadoria.

"Para a petista Sofia Cavedon, Fortunati revelou seu verdadeiro perfil esse ano. 'Ele faz uma opção clara pela cidade-mercadoria. Todos os movimentos dele favorecem a superexploração das áreas mais nobres da cidade, sem cobrar as contrapartidas devidas pelas empresas privadas', apontou. Sofia exemplifica esse favorecimento citando a retirada de artesãos do Largo Glênio Peres para concessão à empresa privada. 

Além disso, a vereadora do PT acusa a prefeitura de não cobrar a contrapartida da empresa que construiu a Arena, novo estádio do Grêmio."

Leia a integra da matéria - Fim de governo trava obras na Capital / Oposição aponta projetos atrasados e obras não concluídas - no Portal do Correio do Povo.

 Veja também:
Sofia presta contas do seu mandato

sábado, 15 de dezembro de 2012

Mulheres e Cultura – Seminários focaram as temáticas

Durante a semana a vereadora Sofia Cavedon (PT-PoA) participou de encontros que abordaram temáticas das mulheres e da cultura.

Foto Divulgação Gabinete
O Seminário de Formação de Vereadoras da Democracia Socialista (DS), tendência interna do Partido dos Trabalhadores (PT) do qual Sofia integra, foi promovido pelo gabinete do deputado Raul Pont (PT/RS), na sexta-feira (14/12).

Conforme Sofia, que palestrou sobre a “Construção do Mandato Parlamentar Popular”, o encontro fez uma reflexão do feminismo e abordou o compromisso popular das mulheres no PT. O deputado Raul Pont apresentou as perspectivas para o PT, para o Estado e para o Brasil. Helena Bonumá falou da "História da Luta das Mulheres no PT/DS"; “Dialogando com os movimentos de mulheres e feminista” foi abordado por Estela Vilanova e Vanessa Gil.

Cultura 

Foto Divulgação Gabinete
Já neste sábado (15/12), Sofia representou a Executiva Estadual do PT/RS no Seminário de Políticas Públicas de Cultura do PT/RS, promovido pela Setorial Estadual de Cultura do partido.

O encontro na Assembleia Legislativa cotou com a presença do secretário nacional de Cultura do PT Edmilson Souza; do secretario de Cultura do PT/RS Jackson Raymundo; do secretário estadual de Cultura do RS Assis Brasil, e do presidente do PT/RS deputado estadual Raul Pont.

Debatendo sobre “A cultura e a disputa de hegemonia” estavam Albino Rubim, secretário de Cultura do Estado da Bahia; Jeferson Assumção, secretário Adjunto de Cultura do RS; e Marta Porto, diretora de Cultura de FLACSO.

Já o painel “Novos desafios das políticas culturais” contou com a participação de Nascimento Júnior, presidente do IBRAM; Glauber Piva, diretor do ANCINE; Atílio Alencar, da Casa Fora do Eixo Porto Alegre; e Leandro Anton, representante do RS dos Pontos de Cultura (projeto do Governo Federal).

Sarau Antes que o mundo acabe...

Antes que o mundoSarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...
Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...
Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...
Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...Sarau Antes que o mundo acabe...

Sarau Antes que o mundo acabe..., um álbum no Flickr.

Sofia Cavedon (PT-PoA) promoveu na quinta-feira (13/12), o último Sarau de 2012 - Antes que o mundo acabe - um pouquinho de cada um...

O encontro no Bar do Marinho (Sarmento Leite, 995), na Cidade Baixa reuniu artistas do estado como Adriane Azevedo, Demétrio Xavier, Elisa Lucas, João França, Jario Klein, Lenadro Lima, Liane Schuller, Leonardo Ribeiro, Mr. Deco, Raul Ellwanger...