sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Contratação de professores: Sugestão de Sofia será analisada

A Secretaria Municipal da Administração (SMA) irá consultar a Procuradoria Geral do Município (PGM) para averiguar a possibilidade de acatar a sugestão da vereadora Sofia Cavedon (PT) de chamar, para assumir os contratos emergenciais na Rede de Ensino da Capital, os aprovados no concurso público realizado pela Prefeitura no início do ano.

Conforme Sofia, que se reuniu hoje (27/02) com a secretária adjunta da SMA, Rita de Cássia Eloy, a proposta esbarra na Lei Municipal 7770/96, que exige a realização de processo seletivo para a contratação emergencial.

“Solicitamos ao Governo a sensibilidade de perceber o prejuízo que a troca de professores no decorrer do ano letivo pode causar aos alunos, por isso pedimos a Secretária a revogação do processo seletivo e o imediato chamamento dos aprovados no concurso para ocuparem esses cargos”, enfatizou.

A vereadora ficou preocupada com o fato de que o término do processo seletivo está previsto para 20 de março, sendo que o Executivo afirmou que chamará os aprovados em abril. “A realização da contratação de emergência não era para suprir os primeiros dias do ano letivo?”, questiona.

Sofia recorda que, na condição de presidente da Comissão de Educação da Câmara de Vereadores em 2008, por diversas vezes pautou e alertou o governo da necessidade da realização, a tempo, de novo concurso para professores, inclusive aos Secretários de Gestão e Governança à época.

Também participaram do encontro as representantes da Associação dos Trabalhadores em Educação do Município de Porto Alegre (Atempa), Gorete Losada e Isabel de Medeiros. Elas expressaram o receio da categoria de que a contratação emergencial de professores torne-se, a exemplo do que ocorre no Estado, uma rotina. “Isso desqualificaria todo o processo de gestão construído na Rede Municipal de Ensino da Capital”, destacaram.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Contratação Emergencial de professores: Sofia reúne-se amanhã na SMA

Após encaminhar documento às Secretarias de Educação (Smed) e da Administração (SMA), sugerindo que os contratos emergenciais para a contratação temporária de professores para a Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre, a vereadora Sofia Cavedon (PT) se reunirá nesta sexta-feira (27/02), às 15h, com a secretária adjunta da SMA, Rita de Cássia Eloy. O encontro será na SMA (Rua Siqueira Campos, 1300 - 10º andar).

No documento a vereadora sugere que ao invés de realizar outra seleção para a contratação emergencial, se utilize como critério a primeira lista dos aprovados no concurso, sem considerar a prova de títulos. Para Sofia “além de um critério universal que foi a prova realizada, teremos chance de diminuir a troca de professores durante o ano letivo causando menos prejuízo ao processo de aprendizagem nas escolas.”

Ela também solicitou ao Executivo Municipal que não seja estabelecida cobrança de taxa de inscrição dos pretendentes ao contrato, uma vez não se tratar de um processo seletivo que inclui provas, aluguel de espaços e outras despesas;

A abertura, pela Prefeitura de Porto Alegre, de contratação emergencial para professores está gerando inúmeros protestos, pois o concurso público realizado recentemente encontra-se em fase final de seleção de processo.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Contratos emergênciais: Sofia pede que aprovados no concurso sejam chamados

A abertura, pela Prefeitura de Porto Alegre, de contratação emergencial para professores está gerando inúmeros protestos, pois o concurso público realizado recentemente encontra-se em fase final de seleção de processo.

Frente às manifestações. a vereadora Sofia Cavedon (PT) encaminhou documento às secretárias municipais de Educação e de Administração, Cleci Jurach e Sônia Vaz Pinto, lembrando que, na condição de presidente da Comissão de Educação (Cece) da Câmara de Vereadores em 2008, por diversas vezes pautou o tema e alertou o governo da necessidade da realização, a tempo, de novo concurso para professores, inclusive reunindo-se com os secretários de Gestão e Governança da época.

“Sabemos que a demanda por nomeação pelas escolas, diante de afastamentos por aposentadoria e novas turmas, já vinha aparecendo durante o ano passado, acentuada desde julho quando não havia mais como nomear professores pelo término do período de validade do último concurso”, salienta a vereadora.

Diante da emergência do ano letivo e da inconclusão do processo de seleção via concurso público de professores, Sofia solicitou no documento, que urgem medidas que garantam o início do ano letivo com tranqüilidade, no entanto ela pondera:

aque esta medida seja de fato emergencial e se extinga assim que o concurso estiver com a homologação final dos aprovados;
aque não se estabeleça cobrança de taxa para a inscrição dos pretendentes ao contrato, uma vez não se tratar de um processo seletivo que inclui provas, aluguel de espaços e outras despesas;
aque ao invés de realizar outra seleção com critérios possivelmente subjetivos e questionáveis, se utilize como critério a primeira lista dos aprovados no concurso, sem considerar a prova de títulos. Além de um critério universal que foi a prova realizada, teremos chance de diminuir a troca de professores durante o ano letivo causando menos prejuízo ao processo de aprendizagem nas escolas.

Gestão Participativa é tema de palestra de Sofia Cavedon

A convite da Prefeitura de Jaguarão, a vereadora Sofia Cavedon fará a palestra de abertura do ano letivo do município nesta quinta-feira (26/02), às 9 horas, no Teatro Esperança (Av Vinte e Sete de Janeiro, 533) .

Sofia falará sobre "Gestão Participativa:construção do conhecimento e avaliação com a participação popular". “Apresentarei os mecanismos e as práticas da gestão democrática que geraram transformações na Educação em Porto Alegre, através do OP Escolar, da construção dos Conselhos Municipais e da implantação das eleições diretas nas escolas”, destaca a vereadora, ex-titular da Smed na Administração Popular.

Conforme a secretária Municipal de Educação de Jaguarão, Maria da Graça Souza, somente a construção coletiva e colaborativa possibilita a claridade política. “Essa claridade política implica no respeito ao povo, as comunidades e o seu conhecimento. É com esse grande desafio que iniciaremos o ano letivo”, salienta.

Na Sexta-feira (27/02) a equipe diretiva e o quadro de professores da cidade participarão do Planejamento e Organização Pedagógica nas Escolas.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

PT EM DEFESA DA ORLA PÚBLICA E DO REFERENDO JÁ!

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE O PONTAL DO ESTALEIRO

DIA: 05 DE MARÇO DE 2009 - QUINTA-FEIRA

ÀS 19 HORAS

NO: PLENÁRIO OTÁVIO ROCHA DA CÂMARA MUNICIPAL
AV. LOUREIRO DA SILVA, 255

PAUTA:
NOVO PROJETO DO PONTAL DO ESTALEIRO ENVIADO À CÂMARA PELO PREFEITO MUNICIPAL

PARTICIPE! O GUAÍBA E A CIDADE AGRADECEM!

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Escândalo!

“Em se confirmando as denúncias, a governadora não terá mais condições de comandar os gaúchos”, afirma líder petista.

A Comissão Executiva do PT/RS e a bancada petista na Assembléia Legislativa se reuniram extraordinariamente, na manhã desta sexta-feira (20), para analisar as graves denúncias contra o governo Yeda Crusius, que foram reveladas pelo PSOL na quinta-feira (19).

Ao final do encontro, os dirigentes petistas manifestaram sua posição em nota oficial lançada à imprensa.

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Inscrições prorrogadas para o curso pré-vestibular

A grande demanda constatada na quinta-feira (19/02), para a inscrição do curso de pré-vestibular na Vila São Judas Tadeu, promovido pela ONG Xama de Duas Faces e apoio do gabinete da vereadora Sofia Cavedon (PT), fez com que a entidade prorrogasse mais um dia as inscrições ao curso.

A nova data será após o carnaval, no sábado, dia 14 de março, das 10 às 17h, na sede da Associação de Moradores da Vila São Judas Tadeu (Rua Nelson Brochado, 24, Partenon – Ao lado do estacionamento externo da PUC). As aulas serão realizadas no turno da noite, de segunda as quintas-feiras e começam no dia 16 de março, às 18h30min.

Os interessados deverão levar uma foto 3x4, 1 quilo de alimento não perecível, Carteira de Identidade, CPF e pagar a taxa de matrícula de R$ 10,00. O presidente da Associação, Roberto Oliveira, disse que doações como livros (especialmente da literatura brasileira), ventiladores, quadros brancos e demais acessórios para salas de aula, também são aceitas e podem ser feitas na sede da Associação de Moradores da Vila São Judas Tadeu.

A ONG Xama de Duas Faces informou que 27 inscrições foram realizadas na última quinta-feira.

A vereadora Sofia Cavedon destaca que a iniciativa foi um sucesso, surgindo demandas para outras regiões da cidade, como no Loteamento Wenceslau Fontoura, no bairro Rubem Berta. “A partir disso já procuramos a direção da Xama de Duas Faces e em breve discutiremos a possibilidade de implementarmos mais um curso pré-vestibular que atenda as comunidades carentes da cidade”.

Informações: Roberto Oliveira – 8461.3880 / Taís Santos – 8467.9714 / Anderson - 9825.1875 ou 8452.3008

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Atempa denuncia contratação de professor temporário pela Prefeitura

A Associação dos Trabalhadores em Educação do Município de Porto Alegre(Atempa) denuncia o processo seletivo para contratação de professor temporário, aberto pela Prefeitura da Capital, cujas inscrições vão de hoje (20/2) a dois de março.

Segundo a diretora geral da Atempa, Isabel Letícia de Medeiros, a atitude revela descaso e desorganização com a educação municipal, já que a Associação vem alertando, desde o início do ano passado, que, com o término do prazo de nomeação do último concurso, em julho de 2008, seria necessário o encaminhamento imediato de novo concurso, o que foi feito somente ao final do ano.

"A seleção encaminhada denota que as escolas iniciarão o ano sem professores, já que a inscrição termina no dia dois de março, quando as aulas já terão começado. Além disso, admite professores em processo paralelo ao concurso público, uma das estratégias largamente utilizadas pelo Estado e que contribui com a precarização da educação pública", alerta Isabel.

Fonte: Darlene Silveira (6478) - Bem Capaz Comunicação e Design

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Criada frente parlamentar pelo piso salarial do magistério

Os vereadores da Câmara Municipal de Porto Alegre aprovaram, por unanimidade, na sessão ordinária desta quarta-feira (18/2), a criação da Frente Parlamentar pelo Piso Salarial Profissional do Magistério.

A vereadora Sofia Cavedon, autora da proposta, enfatizou que “A Câmara de Vereadores da Capital não pode ficar omissa frente a essa luta do magistério gaúcho, de implementar a aplicação do piso salarial nacional dos professores pelo Estado do Rio Grande do Sul, pois ele é um fator fundamental para garantir dignidade à categoria e de melhoria na qualidade do ensino”.

A governadora Yeda Crusius, juntamente com os governadores do MS, SC, PR, CE, entrou com uma ação de inconstitucionalidade da Lei do Piso - R$ 950,00 - que já deveria ser base para a carreira e gratificações dos professores estaduais. O Piso foi instituído aos professores da rede pública, em todo o país, a partir de projeto de lei do senador Cristovam Buarque aprovado pelo Congresso Nacional e sancionado pelo presidente Luis Inácio Lula da Silva.

Curso pré-vestibular tem inscrições nesta quinta-feira

A ONG Xama de Duas Faces informa que as inscrições para o curso de pré-vestibular, promovido pela entidade, ocorrerão somente amanhã (19/02 – Quinta-feira), das 10 às 17h, na Associação de Moradores da Vila São Judas Tadeu (Rua Nelson Brochado, s/n, Partenon).

Os interessados deverão levar uma foto 3x4, 1 quilo de alimento não perecível, Carteira de Identidade, CPF e pagar a taxa de matrícula de R$ 10,00.

As aulas serão realizadas no turno da noite, de segunda as quintas-feiras e começam no dia 16 de março, às 18h30min.

Iniciativa
A ONG Xama de Duas Faces já desenvolve curso pré-vestibular na Fapa (Faculdades Porto-Alegrenses) e, por iniciativa da vereadora Sofia Cavedon, que tem um mandato voltado à temática da Educação e que apóia a adoção do sistema de cotas nas universidades públicas do país, constituiu pela primeira vez um curso de pré-vestibular na periferia da cidade.

Conforme Sofia, a idéia surgiu ao constatar as dificuldades, entre elas a financeira e de deslocamento, dos estudantes da comunidade e seu entorno. “A oportunidade de se preparem é mais um estímulo aos nossos jovens das escolas públicas do Ensino Médio para persistirem, pois o acesso ao Ensino Superior está aberto”, salientou ela.

Mais Informações: 98251875 ou 84523008 (Anderson)

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Sofia participa da Formação de Educadores em Vacaria

As equipes diretivas das 20 escolas municipais de Vacaria estão reunidas no I Curso de Formação das Equipes Diretivas, nesta segunda e terça-feira, 16 e 17 do mês. Dois dias de reflexão estimulados pela vereadora Sofia Cavedon, ex Secretária de Educação de Porto Alegre, e por dinâmicas organizadas pela equipe da Secretaria de Educação e pela secretária Joara Dutra Vieira.

"O encontro visa a construção de diretrizes coletivas para a elaboração dos Planos de Desenvolvimento da Educação de cada escola, compatibilizados com o Compromisso Todos pela Educação, que o município assinou com o Governo Federal", afirma Joara.

Seremos parceiros das escolas para identificar os limites e encontrar alternativas para a qualificação da educação com inclusão social. este é o primeiro de muitos momentos de formação - afirma Olívia Melo da Silva, Coordenadora Pedagógica da Smed Vacaria.

Sofia abriu o curso propondo o debate da Função Social da Escola: a humanização. Processo de educação como construção do humano, portanto, direito de todos, um direito público. A implicação disto é a democratização da escola na sua dimensão de acesso e acessibilidade, pedagógica e administrativa.

Para isto, a escola precisa mudar, superar sua estrutura e mecanismos homogenizadores e excludentes. Para mudar, é preciso planejar. Sem planos, a tendência é reproduzir o que já existe. Planejar exige tomada de decisões: Educar para quê? Para quem? Para qual mundo? Qual conhecimento? Precisa partir da reflexão da realidade, envolvendo todos os implicados. Deve ser processo coletivo, que leva ao compromisso de todos.

Os planos dão visibilidade à escola desejada porque articulam e dão significado para as dimensões pedagógica, administrativa, político e cultural.

Terça, dia 17, estará em pauta a Gestão Democrática como instrumento para a construção da qualidade da educação para todos. Será debatida também na sua dimensão pedagógica, por ser forma e conteúdo da educação. É essencial para que a aprendizagem significativa aconteça, respeitar a condição de sujeito de cada aluno, garantindo a relação do conhecimento do aluno e da comunidade com o conhecimento escolar.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Sofia Cavedon palestra em Vacaria

A convite da Prefeitura Municipal de Vacaria, a vereadora Sofia Cavedon (PT), ex-presidente da Comissão de Educação, Cultura e Juventude (Cece) da Câmara Municipal e ex-secretária de Educação de Porto Alegre, será a palestrante do Curso de Formação para as Equipes Diretivas das Escolas Municipais de Vacaria, que se realiza de 16 a 17 de fevereiro (Segunda e Terça-feira), na Sociedade Esportiva União Operária do município (Rua Borges Medeiros, 1246).

No primeiro dia, pela manhã (a partir das 8h30min), Sofia Cavedon abordará "A Função Social da Escola". Segundo ela a idéia é provocar reflexões como:O Projeto Político Pedagógico (PPP) contempla a visão proposta? De que forma? O que a escola está fazendo de concreto? Se não está, qual é a distância entre a prática e o sugerido? O que precisa ser feito para a escola desempenhar verdadeiramente a sua função social? Em que a escola está contribuindo para melhoria da qualidade de vida da comunidade?

Na terça (7/02), a partir das 8h30min, Sofia abordará a Gestão Democrática: Teoria e Prática. “Neste painel a proposta é refletir sobre: como concretizar teoria e prática na gestão democrática e o que já é realidade na escola?”

Hoje, Pré-Carnaval LGBT da Candinha

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Vereadora leva ao MEC preocupação com Parecer sobre o EJA

O Ministério da Educação, através da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad), não irá homologar o Parecer do Conselho Nacional de Educação, que institui Diretrizes Operacionais para a Educação de Jovens e Adultos – EJA, antes de março, quando realizará um Seminário com os secretários estaduais e municipais de Educação para aprofundar o tema.

A afirmação é do secretário da Secad, André Lazaro, em reunião realizada hoje (11/02) em Brasília com a vereadora Sofia Cavedon e a representante da Associação dos Trabalhadores em Educação do Município de Porto Alegre (Atempa), Martha Christhina Gomes da Rosa.

Sofia e Martha apresentaram ao Secretário as várias questões levantadas nos encontros realizados no ano passado - uma reunião ordinária da Cece e a audiência pública promovida pela Atempa - quando ela presidia a Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece), da Câmara Municipal de Porto Alegre.

Nesses encontros, recorda a vereadora, um dos temas mais polêmico foi à limitação da faixa etária de ingresso para os 18 anos, onde, no Parecer, é qualificado como: perversos os processos de exclusão dos jovens na escolar regular. “Mas não aponta caminhos que atinjam as causas reais do problema que desencadeiam a exclusão de jovens dos espaços escolares e a falta de alternativas de escolarização para muitos. Ao contrário, cria mais uma barreira, opondo-se ao cumprimento das funções reparadora, equalizadora e qualificadora da EJA, voltadas àquelas pessoas que não tiveram condições de acesso e de permanência nos espaços escolares na idade apropriada, destacadas em deliberações anteriores do Conselho Nacional sobre a educação do público jovem e adulto”, salientou.

Para Sofia Porto Alegre é exemplo para o país, pois somente agora, com o financiamento do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), que o Brasil ganhará a qualidade no ensino de jovens e adultos que a capital gaúcha já vem desenvolvendo. Frente a isso, questiona ela, como se impossibilita a entrada no EJA de jovens de 15 a 17 anos, muitos deles já chefes de família? Sofia também afirma que é preciso avançar na proposta pedagógica para essa faixa etária.

A diretora da Atempa, Martha da Rosa, entregou ao Secretário o teor do manifesto que está sendo preparado com um abaixo-assinado, solicitando a não homologação do Parecer do Conselho Nacional de Educação e também cópia da Resolução nº 09, de 08 de janeiro de 2009, do Conselho Municipal de Educação (CME) que estabelece diretrizes de ofertas de educação de jovens e adultos nas escolas de Porto Alegre sendo a idade mínima de 15 anos para o ensino fundamental e de 18 para o médio.

Na rede municipal de Porto Alegre, em 2008, estavam matriculados 9.132 alunos na EJA; desses, 2.338 têm entre 15 e 17 anos em algumas escolas os jovens nesta de idade chegam a 50%.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Cece - Demandas e pendências são lembradas

A secretária municipal de Educação (Smed), Cleci Jurach, esteve na manhã desta terça-feira (10/2) na Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece) da Câmara Municipal de Porto Alegre. “Venho compartilhar esperanças de que, nesses quatro anos, possamos fazer um trabalho voltado à qualidade da educação em Porto Alegre”, disse ela apresentando sua equipe de trabalho que, segundo informou, deverá acompanhar o andamento dos assuntos da Cece.

A vereadora Sofia Cavedon manifestou satisfação em receber a secretária. “O andamento dos trabalhos da Cece depende muito da interlocução que vamos manter”, afirmou.

Ela salientou os assuntos tratados em 2008 e as demandas pendentes na Comissão, como o encaminhamento para a Câmara de Vereadores do Plano Municipal de Educação (PME) – engavetado nos últimos quatro anos da administração Fogaça; a silenciosa e preocupante municipalização do ensino que a SEC promove no Estado e que afeta diretamente a Capital; e o desperdício de cerca de 14 milhões de reais oriundos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) que já poderiam estar sendo destinados às creches comunitárias da cidade promovendo a gratuidade nas matrículas.

A atual titular da Smed já recebeu a Carta de Demandas e Pendências de 2008, encaminhada pela vereadora Sofia.

Escola Estadual pede ajuda
Moradores do Bairro Vila Nova estiveram na reunião. Representados pela presidente da Associação dos Moradores do Bairro Vila Nova, Arlete Mazzo, pediram a Secretária que intervenha junto à Secretaria Estadual de Educação (SEC) para evitar o fim das turmas de primeiro e segundo ano do Ensino Fundamental na Escola Estadual Alberto Torres.
A intenção da SEC, segundo disseram, é acabar com ensino fundamental de forma gradativa nesta instituição de ensino.

ProJovem 2009 foi tema de reunião

Com o objetivo de contribuir com o ProJovem de 2009 a vereadora Sofia Cavedon, membro da Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece) da Câmara Municipal de Porto Alegre, reuniu-se na segunda-feira(09/02) com o secretário municipal da Juventude, Alexandre Souza da Silveira.

No encontro Sofia sugeriu uma maior articulação com a rede de atendimento, por meio de entidades e ONGs que compõem o Fórum Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e aproveitou para apresentar o Projeto Lanche Ideal, promovido pelo Movimento dos Direitos da Criança e do Adolescente (MDCA) que fornece lanches com preços totalmente compatíveis com o mercado, o que garante o pagamento dos profissionais, da infra-estrutura e das bolsas-auxílio. A maior parte da produção sempre foi adquirida por órgãos públicos municipais de Porto Alegre, através de convênios que estavam sendo cancelados no fim de 2008.

Este ano serão atendidos 1900 jovens até 29 anos, que não concluíram o ensino fundamental. A Secretaria está preparando o processo de licitação para escolher a instituição, sem fins lucrativos, que irá executar o Programa na cidade.

O Secretário prometeu acompanhar Sofia em uma visita ao MDCA, que mantém o projeto. A data ainda será definida.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Fórum Social Mundial 2009 - Resultados das Assembléias

Acesse aqui os Textos das Assembleias do Dia das Alianças do Fórum Social Mundial 2009

São eles:

- Manifesto do Espaço dos Direitos Coletivos dos Povos e Nações sem Estado para o FSM Belém 2009
- Aldeia da Paz
- Assembléia: Frente à Crise, Impulsionar o Processo Permanente do FSM
- Carta LGBTT ao FSM
- Fórum Mundial de Ciência e Democracia
- Assembléia Pan Amazônica
- Assembléia de Combate à Corrupção
- Declaração da Assembléia das Mulheres
- Chamando à recuperação dos bens comuns
- Declaração da Assembléia da Água
- Declaração da Assembléia dos Movimentos Sociais
- Acordo da Assembléia sobre a Crise da Civilização Capitalista Ocidental
- Movimentos Sociais Urbanos construindo convergências no FSM
- Declaração dos Povos Indígenas
- Assembléia de Crianças e Adolescentes
- Propostas da Economia Solidária no FSM 2009
- Resultado da Assembléia de Negros e Negras
- Assembléia contra a Guerra, as Bases Militares e as Armas Nucleares

Homenagem ao deputado Adão Pretto

Nesta terça-feira, 10/02, às 14h, no Plenário da Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, GRANDE EXPEDIENTE EM HOMENAGEM AO DEPUTADO FEDERAL ADÃO PRETTO.

Conflito em Gaza - Declaración de amor a Palestina

*Eduardo Galeano
**Este artigo é dedicado a meus amigos judeus assassinados pelas ditaduras latinoamericanas que Israel assessorou.
Para justificar-se, o terrorismo de estado fabrica terroristas: semeia ódio e colhe pretextos. Tudo indica que esta carnificina de Gaza, que segundo seus autores quer acabar com os terroristas, acabará por multiplicá-los.
Desde 1948, os palestinos vivem condenados à humilhação perpétua. Não podem nem respirar sem permissão. Perderam sua pátria, suas terras, sua água , sua liberdade, seu tudo. Nem sequer têm direito a eleger seus governantes.
Quando votam em quem não devem votar são castigados. Gaza está sendo castigada. Converteu-se em uma armadilha sem saída, desde que o Hamas ganhou limpamente as eleições em 2006. Algo parecido havia ocorrido em 1932, quando o Partido Comunista triunfou nas eleições de El Salvador. Banhados em sangue, os salvadorenhos expiaram sua má conduta e, desde então, viveram submetidos a ditaduras militares. A democracia é um luxo que nem todos merecem.
São filhos da impotência os foguetes caseiros que os militantes do Hamas, encurralados em Gaza, disparam com desajeitada pontaria sobre as terras que foram palestinas e que a ocupação israelense usurpou. E o desespero, à margem da loucura suicida, é a mãe das bravatas que negam o direito à existência de Israel, gritos sem nenhuma eficácia, enquanto a muito eficaz guerra de extermínio está negando, há muitos anos, o direito à existência da Palestina.
Já resta pouca Palestina. Passo a passo, Israel está apagando-a do mapa. Os colonos invadem, e atrás deles os soldados vão corrigindo a fronteira. As balas sacralizam a pilhagem, em legítima defesa.
Não há guerra agressiva que não diga ser guerra defensiva. Hitler invadiu a Polônia para evitar que a Polônia invadisse a Alemanha. Bush invadiu o Iraque para evitar que o Iraque invadisse o mundo. Em cada uma de suas guerras defensivas, Israel devorou outro pedaço da Palestina, e os almoços seguem. O apetite devorador se justifica pelos títulos de propriedade que a Bíblia outorgou, pelos dois mil anos de perseguição que o povo judeu sofreu, e pelo pânico que geram os palestinos à espreita.
Israel é o país que jamais cumpre as recomendações nem as resoluções das Nações Unidas, que nunca acata as sentenças dos tribunais internacionais, que burla as leis internacionais, e é também o único país que legalizou a tortura de prisioneiros.
Quem lhe deu o direito de negar todos os direitos? De onde vem a impunidade com que Israel está executando a matança de Gaza? O governo espanhol não conseguiu bombardear impunemente ao País Basco para acabar com o ETA, nem o governo britânico pôde arrasar a Irlanda para liquidar o IRA. Por acaso a tragédia do Holocausto implica uma apólice de eterna impunidade? Ou essa luz verde provém da potência manda chuva que tem em Israel o mais incondicional de seus vassalos?
O exército israelense, o mais moderno e sofisticado mundo, sabe a quem mata. Não mata por engano. Mata por horror. As vítimas civis são chamadas de "danos colaterais", segundo o dicionário de outras guerras imperiais. Em Gaza, de cada dez "danos colaterais", três são crianças. E somam aos milhares os mutilados, vítimas da tecnologia do esquartejamento humano, que a indústria militar está ensaiando com êxito nesta operação de li mpeza étnica.
E como sempre, sempre o mesmo: em Gaza, cem a um. Para cada cem palestinos mortos, um israelense. Gente perigosa, adverte outro bombardeio, a cargo dos meios massivos de manipulação, que nos convidam a crer que uma vida israelense vale tanto quanto cem vidas palestinas. E esses meios também nos convidam a acreditar que são humanitárias as duzentas bombas atômicas de Israel, e que uma potência nuclear chamada Irã foi a que aniquilou Hiroshima e Nagasaki.
A chamada "comunidade internacional", existe? É algo mais que um clube de mercadores, banqueiros e guerreiros? É algo mais que o nome artístico que os Estados Unidos adotam quando fazem teatro?
Diante da tragédia de Gaza, a hipocrisia mundial se ilumina uma vez mais. Como sempre, a indiferença, os discursos vazios, as declarações ocas, as declamações altissonantes, as posturas ambíguas, rendem tributo à sagrada impunidade.
Diante da tragédia de Gaza, os países árabes lavam as mãos. Como sempre. E como sempre, os países europeus esfregam as mãos. A velha Europa, tão capaz de beleza e de perversidade, derrama alguma que outra lágrima, enquanto secretamente celebra esta jogada de mestre. Porque a caçada de judeus foi sempre um costume europeu, mas há meio século essa dívida histórica está sendo cobrada dos palestinas, que também são semitas e que nunca foram, nem são, antisemitas. Eles estão pagando, com sangue constante e sonoro, uma conta alheia.
*(*) Texto publicado originalmente no jornal Brecha.
Tradução: Katarina Peixoto*
Bajo el plomo fundido
(declaración de amor a Palestina)

León Vallejo Osorio - Enero, 2009

armas
ya no llega
la muerte…
brota del aire
cuando pasan los pájaros amargos
con su carga
de mortíferos
huevos
aparece la muerte sobre el mar
bajo el vómito
absurdo de las indigestas naves
del pentágono
(las sórdidas siamesas de sion)

cae
…cae la muerte desde las fauces
del alevoso basilisco
…desde el grifo delirante

haremos
—harán los palestinos— arcos
y flechas
con sus huesos

devastación
en la franja
no quedan huérfanos ni casas
(…no quedan huérfanos en gaza)

ya no quedan
ya no quedan
ya no quedan…

bandera
el cielo azul de la mañana
es ahora gris y el negro
de la noche
ahora
es inmensamente pardo
y su amarillo
eternamente
pálido

plomo fundido dicen que se llama al napalm
y al fósforo prendido del alma
la memoria y estos cuerpos…

pero el color de la sangre
lo ha borrado
y ahora invade la ciudad un mar
de alondras verdes
negras
blancas
rojas
levantando
inmortal
esta bandera
las piedras de ramalla
otra vez las libélulas del miedo
invaden los sueños y los días

una vez más los caballos
de la muerte
destrozan la sonrisa de los niños
el abrazo
y el abrigo

he visto cadáveres de hombres
y de cosas
sobre las calles de gaza
bajo la ira que desata
entre mis ojos
tanta saña

otra vez los caballos de la muerte
cabalgan por las calles de rafah
de sabra y de shatila

se han escapado
de los campos de varsovia
pasaron galopando por treblinka
se detuvieron en auschwitz
dachau
y lublin
para ocupar como hace siempre
posiciones
del lado de la infamia

los mismos caballos de la muerte
que asaltaron los campos
de treblika
belzec
y sobibor…
siembran de sombras
las piedras de ramalla

desnudo y sin mi voz mientras la muerte
insurrecto entre mis huesos
me levanto
desnudo y sin mi voz
mientras la muerte
camina bajo el cielo
hecho
de plomo
y de napalm

siento vergüenza de mí
de las palabras
que hoy ocultan
cada bestia desatada

…nadie abomina
a estos carniceros
que atesoran
y rentan la ignominia:
las bestias continúan haciendo
de la sangre
una y otra vez
su paraíso
(en medio de este infierno)

metamorfosis
“holocausto” dicen que nombra
todo lo quemado
y sin embargo es apenas
el horror
y el coraje
debajo de los cuerpos a prisa levantados
ya sin tiempo
para completar los ritos:
con apenas el espacio suficiente
para convertir el miedo en odio
y el odio en grito
y el grito en muchas manos
de nuevo (y siempre)
levantadas

herodes (1)
han degollado niños
han cercenado vientres
en el intento de arrasar a la intifada

temen a los vientres y a los niños:
saben
de su furia acumulada

quieren menos brazos
que se alcen
contra las garras desatadas

herodes (2)
no duermen los herodes

los desvela el juego de los niños
los encabrita la mano del poeta
aunque haya
sido ya cortada

como antes en varsovia
hoy descienden
bajo el cielo de diciembre
las mortales libélulas del miedo
los caballos de fuego

…los mariscales
del horror
buscan

(como antes en varsovia)
cada túnel que conduzca
a la memoria
cada paso que brinde
agua
luz
cobijos
abrazos
y otras armas
…como antes
(en varsovia)

bajo el plomo fundido
bajo el plomo fundido
que esconde el inmenso cielo azul
esos vientres y esos niños
se resisten:

son un pueblo
son un pueblo
son un pueblo que respira
más allá del gueto batustán

declaración de amor a palestina
te amamos palestina
como eres: heroica
bajo el fuego de los asesinos
y el silencio de los cómplices
o sobre
las propias fauces de la muerte
abriendo otros caminos

te amamos como vemos
que resurges
tierna
plena
y dura

te amamos palestina
porque la paz no está contigo
ni puede estarlo
en medio de hogueras y desiertos
donde desnudas
la soberbia
las tretas y las faramallas
del gendarme

te amamos más allá del dolor
del pan mordido
del poema y la brasa

amamos tu derecho al grito
y estamos
con la honda
que da firmeza a tu pedrada
y en el abrazo
que da forma a ese amor

te amamos palestina
como amamos
la barca de los sueños
la piel y las palabras
la verdad y las manos
el mapa que seguimos
el puente y sus orillas
la ruta y la canción

te amamos palestina
bajo el fuego
y sobre esa inmensa
luz con que tú guardas
firme la memoria
los pasos indomables
y escondida
la semilla
con que alimentas
tanto amor que resiste
y tanto
…y tanto amor