quinta-feira, 26 de abril de 2007

Pedagogia da Uergs: Prefeito se compromete com a retomada do curso

O prefeito José Fogaça se comprometeu a gestionar, junto a Reitoria da Uergs e ao Governo Estadual, o retorno do curso de Pedagogia em Educação Popular de Porto Alegre. A promessa foi feita na reunião com a Comissão Pró-reabertura do Curso realizada hoje, 26, no Paço Municipal.

Participando do encontro, a vereadora Sofia Cavedon (PT), vice-presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal, enfatizou que a parceria e o protagonismo do Executivo Municipal nessa luta é de muita importância. “Com a aprovação do Fundeb, impõe-se ainda mais a oferta de qualificação aos educadores que atuam na Educação Infantil, e esta responsabilidade é do poder público”. Ela destacou que o curso vinha qualificando-os e que somente na primeira turma 117 educadores se formaram em março deste ano.

A Comissão Pró-reabertura do Curso considerou o encontro muito frutífero, pois o Prefeito garantiu que na próxima semana agendará as reuniões com o Governo do Estado. A Comissão solicitou que a abertura de nova turma seja contemplada no processo de seleção de julho deste ano.

Conforme a presidente da Aeppa (Associação dos Educadores Populares de Porto Alegre), Leonilce de Deus, hoje 78 das 145 creches comunitárias da Capital já contam com educadores formados, mas que a demanda continua alta. “Só em Porto Alegre são mais de dois mil educadores aguardando formação, além dos que já freqüentam o curso normal nas escolas municipais Emílio Meyer e Liberato Salzano Vieira da Cunha.”

Segundo Rosa Mosna, do Conselho Municipal de Educação, diante da dificuldade de oferta do curso para os educadores populares em instituição pública, a Pedagogia na Uergs se torna fundamental. Ela resgatou que o CME participa do processo desde 2000, tendo em vista que o Conselho visa, em especial, a qualificação da educação.

Luciane Escouto, representante do CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), enfatizou que a educação não é só um direito, mas tem que ter qualidade também. Eulália Nascimento, representando o deputado Raul Pont, lembrou ao Prefeito que a Pedagogia em Educação Popular desenvolvida na Universidade Estadual é uma necessidade, tendo em vista que, não só em Porto Alegre, mas também no interior do estado, a qualificação dos educadores atinge toda a sociedade.

A vereadora Sofia recordou ainda que o curso foi formatado especificamente para a sua população alvo: educadores populares, ou seja, pessoas que desenvolvem atividades educativas em escolas, creches ou instituições da sociedade civil organizada, ou até mesmo nas praças e ruas da cidade. “A experiência, infelizmente, foi interrompida na gestão do governador Germano Rigotto, que não criou novas turmas embora houvesse interesse do Executivo Municipal na ocasião”, salientou. Sofia lembra também que em recente reunião com o reitor da Uergs, Carlos Alberto Callegaro, ele afirmou que o curso será retomado.

Participaram da reunião a Comissão de Educação/CMPA, a Associação dos Educadores Populares de Porto Alegre, o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, o Conselho Municipal de Educação e o Gabinete do Deputado Estadual Raul Pont.

terça-feira, 24 de abril de 2007

Escola Estadual pede socorro!


Escola Estadual Ceará; Escola Estadual Prof. Oscar Pereira; Instituto de Educação; inúmeras escolas estaduais da capital e do interior do estado e agora, a Escola Estadual Evaristo Gonçalves Neto pede socorro!

Com cinco salas de aula e o refeitório infestadas de dejetos, cheiro e penas de pombas a instituição funciona hoje com a metade de sua capacidade física. A denúncia foi feita nesta terça-feira, 24, a vereadora Sofia Cavedon, vice-presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal de Porto Alegre. Chamada pela comunidade escolar para averiguar “in loco”, Sofia ficou impressionada com a situação que pode gerar sérios danos à saúde dos alunos, professores e funcionários da escola.

Para Sofia é incompreensível que a SEC ainda não tenha tomado uma atitude mais eficaz. “Essa situação existe desde janeiro deste ano e a Secretaria Estadual de Educação vem tomando medidas paliativas. Na escola existe um funcionário encarregado da limpeza. Só de alunos são 380 pessoas”. Ela solicitou a Vigilância Sanitária do Município a realização de uma vistoria no local, que deverá ocorrer ainda esta semana.

Sofia lembra que já foram inúmeras as demandas deste ano para solucionar os problemas das escolas estaduais. Muitas comunidades escolares tiveram que protestar frente a tantos problemas como à falta de professores, de funcionários, atraso no repasse financeiro, insegurança, e prédios em péssimas condições.

segunda-feira, 23 de abril de 2007

A conta da educação – Artigo da Sofia

Publicado no Jornal Correio do Povo no dia 20 de abril.

Professor e aluno não são números, mas é assim que estão sendo tratados. O cálculo da SEC é simplista: basta remanejar, de um lugar para o outro, e tudo está resolvido no ensino. Vejamos: uma professora há 17 anos atendendo na biblioteca é, pela concepção do novo governo, mais importante numa primeira série. Além de a biblioteca ser fechada e toda a escola ser prejudicada, esta professora por despreparo, idade, condição física ou psicológica, em menos de uma semana entra em licença-saúde e as crianças em casa, sem aulas. A situação não é hipótese, ocorreu em Porto Alegre e se repete em casos semelhantes, agravando a falta de professor e funcionário.

A SEC, alegando ter que enxugar, em razão das atuais contas públicas, remexe as escolas da maneira mais desastrosa e autoritária possível: só nomeia os responsáveis regionais depois do início das aulas, não faz reunião com os diretores, orienta a retirada de todos os professores dos setores para assumir sala de aula e ainda adverte que é preciso melhorar os índices de aprovação.

É verdade que o aluno não pode pagar a conta, mas que condições há de aprendizagem num quadro desse? É possível uma escola só com direções e professores? Sem biblioteca, sem coordenação pedagógica? E os diretores, tendo que administrar com parcos e atrasados recursos, dando conta de vagas, merenda, materiais, limpezas, assaltos? Parece que para a SEC aponta uma forma muito diferente de qualificar a educação gaúcha! Mas, quem tem de fato compromisso com a educação sabe que isto é condenar o ensino ao fracasso, os alunos ao abandono e a sociedade à mercê de mais violência!

É comum usar a relação número de alunos versus professor para dizer que sobram educadores, porque em educação se considera que se gasta muito. Porém, países com os melhores indicadores educacionais gastam muito mais. Cuba, por exemplo, aplica 13% do seu PIB, enquanto o Brasil aplica 4%. Achar que é possível enxugar nesta área é uma irresponsabilidade que tem custos! Potencializar recursos humanos, evitar desperdício é bem diferente de entregar à sociedade o ônus de uma escola empobrecida.

Se o novo jeito de governar consiste em cortar nas áreas mais vulneráveis, ele não serve para o povo gaúcho! Aqui lutar por escola pública de qualidade é lição de aula, “é ensinar democracia” como cantamos no hino. Por isso, mais do que os professores, pais e alunos têm reagido e haverão de ensinar aos governantes que sem escola não há escolha!

Creche fechada há mais de 2 anos!


O Governo tem a responsabilidade de resolver o problema!” Assim definiu a vereadora Sofia Cavedon quando participou (23/Abril) da manifestação das mães da comunidade São Vicente Mártir, que pedem urgentes providências da Smed para a reabertura da Creche Marieta Calefi, fechada há mais de dois anos por problemas burocráticos.

Sofia, que acompanha a situação desde o início, disse ser inadmissível que o Governo Municipal ainda não tenha resolvido esse grave problema, que afeta milhares de pessoas e, principalmente as crianças e as mães da comunidade. Na época em que foi fechada 43 crianças, desde o berçário até o jardim, freqüentavam a creche, lembrou a vereadora.

No ato foi formada a Comissão de Mães da Vila São Vicente Mártir que, juntamente com Sofia, solicitaram agenda com a secretária da Smed a fim de que uma solução definitiva seja encaminhada. Até o presente momento ainda não se tinha retorno do gabinete da secretária.

“Várias reuniões já ocorreram na tentativa de reabertura da Creche, mas até o momento ela continua fechada, prejudicando toda a comunidade, pois as crianças ficam na rua e as mães não podem nem mesmo procurar emprego”. É o desabafo das integrantes da Comissão, Ana Paula Tolentino, Nelci Ribeiro, Débora de Almeida. Maricel Santos, Catia Montanha e Laura Flores Tolentino.

A Comissão se reunirá novamente na quinta-feira (26), às 14h, na sede da Creche – Rua L, nº 100 – quando definirão as novas medidas que tomarão. Ana Paula Tolentino, coordenadora pedagógica da Creche, recorda que o problema já é de conhecimento da Smed, pois o assunto já foi pauta nas comissões de Educação e de Defesa do Consumidor da Câmara de Vereadores, com a própria Secretaria da Educação tendo participado das audiências. Na ocasião a Smed garantiu que o repasse do convênio havia sido apenas suspenso, e se comprometeu em agilizar as medidas necessárias para a reabertura da creche.

Inicia amanhã a Jornada de Psicomotricidade Relacional:construção de aprendizagens e transformação social

Inicia amanhã, terça-feira/24, a Jornada de debates sobre o tema - PSICOMOTRICIDADE RELACIONAL: construção de aprendizagens e transformação social. O encontro é uma promoção do mandato da vereadora Sofia Cavedon, juntamente com o Curso de Pós-graduação em Psicomotricidade Relacional - IPA-Fundatec-CIAR.

A abertura do evento será às 19h, no auditório Elisabeth Lee, Campus Americano do IPA (Rua Lauro de Oliveira, 71, Rio Branco) com a palestra de Cristina Sorrentino, cantora lírica; Adriana Menelli de Oliveira, reitora do IPA, e a vereadora Sofia. As inscrições podem ser feitas no local ou pelo fone 51.3220.4263, com Marsia Sulzbacher. O objetivo da Jornada é divulgar a Psicomotricidade Relacional como uma ferramenta para promoção da Educação e da Saúde, abordando principalmente a área de desenvolvimento humano.

O encontro será uma oportunidade para integração entre profissionais da educação, da saúde e do poder público possibilitando troca de experiências na área de atendimento à criança e ao adolescente. Esta Jornada objetiva também apresentar uma nova ferramenta para os educadores, como um diferencial na construção de novos caminhos na educação e saúde, ao dar uma atenção especial ao desenvolvimento global do sujeito, efetivando uma melhor aprendizagem que leve a integrar desde a mais tenra idade o conceito de cidadania e fraternidade.

Na Jornada será constituído o FÓRUM MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E PSICOMOTRICIDADE RELACIONAL, que será coordenado pela ABPR - Associação Brasileira de Psicomotricidade Relacional e composto por profissionais de educação, da saúde, das universidades, do poder público e outros. Terá como objetivo a integração entre as áreas, a troca de experiências e o conhecimento entre os diversos setores que realizam o atendimento a criança e adolescente ou que de alguma forma envolvem-se com esse público.

No evento, será relançado o livro “Psicomotricidade Relacional – Teoria de uma Prática” de Leopoldo Vieira, Bellaguarda e Anne Lapierre, “O Adulto Diante da Criança”, e “A Simbologia do Movimento” ambos em co-autoria de André Lapierre, lançado pela Editora da Universidade Federal do Paraná e CIAR.

sexta-feira, 20 de abril de 2007

Alimentação Saudável foi tema de debate hoje na Conferência Estadual de Segurança Alimentar

A vereadora Sofia Cavedon (PT) apresentou hoje na IV Conferência Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável do Rio Grande do Sul a Lei da Alimentação Saudável, de sua autoria, e que entrou em vigência este ano na Capital.

A lei 10167/07 estabelece normas para a comercialização de produtos alimentícios e bebidas nas cantinas e bares das escolas públicas e privadas de Porto Alegre, considerando a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde e a alimentação das crianças e adolescentes; o desenvolvimento físico e mental com padrões de qualidade nutricional e a educação sobre o consumo adequado dos produtos.

Sofia também apresentou outra Lei de sua autoria, que não está sendo executada pelo Governo Municipal, e que iniciou na sua gestão quando titular da Smed. O projeto-piloto de preparo da alimentação das escolas municipais de Porto Alegre. Esse projeto era realizado nas escolas da zona sul da cidade - Chapéu do Sol, Ponta Grossa e Anísio Teixeira - em parceria com Smed, Smic, Emater e produtores rurais da região. E era feito, prioritariamente, com produtos hortifrutigranjeiros adquiridos diretamente dos produtores agrícolas da zona ruro-urbana da cidade.

"Muito mais que uma mera reserva de mercado, a iniciativa levava qualidade às escolas e variedade de alimentos, difíceis de se conseguir na compra unificada que faz a Smed para toda a rede municipal de ensino", destacou a vereadora.

O debate após a manifestação da vereadora mostrou que no Rio Grande do Sul mais de 30 municípios estão conveniados com a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) do Governo Federal, permitindo que seja feita a compra direta dos produtores para a alimentação escolar, como os municípios de Palmeira das Missões e Vale do Sol estão realizando.

A Conferência é organizada pelo Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável do Estado do Rio Grande do Sul.

quarta-feira, 18 de abril de 2007

Prêmio Cultura Viva – Inscrições estão abertas

As inscrições para o Prêmio Cultura Viva já estão abertas e podem ser realizadas até o dia 25 de maio pelo site www.premioculturaviva.org.br. A segunda edição do Prêmio destaca as iniciativas que atuam na articulação entre os campos da cultura, da educação e da comunidade, por meio de práticas culturais e educativas desenvolvidas na e com a participação da comunidade. A proposta é dirigida a iniciativas que desenvolvam práticas culturais e educativas nas áreas de patrimônio cultural e das artes, compreendendo as linguagens artísticas: artes cênicas, audiovisual, artes visuais, artes musicais e artes da palavra (literatura, cordel, lendas, mitos, dramaturgia e contação de histórias).

Nesta quarta-feira, dia 18, o ministro da Cultura, Gilberto Gil, esteve em Porto Alegre para o lançamento do Prêmio. O encontro seguirá na quinta-feira, dia 19, às 10h, no Escritório Representação Regional Sul do Ministério da Cultura – Av. Independência, 867 – Independência.

Programação do Encontro
- Apresentação e esclarecimentos sobre o Prêmio Cultura viva e o Programa Cultura Viva do Ministério da Cultura;
- Apresentação da 2ª edição do Prêmio;
- Premiação;
- Apresentação do Prêmio Escola Viva;
- Distribuição de materiais gráficos explicativos – Regulamento e Ficha de Inscrição;
- Espaço aberto para esclarecimentos de dúvidas e comentários ou outras questões pontuais.

O Prêmio Cultura Viva é uma iniciativa, pioneira, do Ministério da Cultura e conta com o patrocínio da Petrobrás, fazendo parte do Programa Nacional de Cultura, Educação e Cidadania: Cultura Viva. O objetivo é reconhecer, estimular e dar visibilidade a iniciativas culturais de todo o país que valorizem a cultura como meio de consolidação da identidade e de construção da cidadania. Se propõe a abrigar ações que já existem ao longo do território brasileiro e que tenham apresentado resultados. Uma de suas missões é favorecer o reconhecimento e a divulgação da imensa diversidade cultural do Brasil, enquanto reconhece as diferentes iniciativas que valorizam as oportunidades de promover a inclusão social.

sexta-feira, 13 de abril de 2007

Alimentação nossa de cada dia

O mandato apóia às iniciativas que buscam melhorar a alimentação nossa de cada dia, especialmente das crianças e adolescentes. Para tanto Sofia já apresentou dois projetos nesse sentido e que hoje são leis municipais. A lei Agricultura familiar na alimentação escolar determina que a merenda deve ser feita prioritariamente com produtos hortifrutigranjeiros adquiridos diretamente dos produtores agrícolas da zona ruro-urbana da cidade. Sancionada pelo Executivo Municipal, esta lei nasceu da experiência piloto desenvolvida em 2004 nas escolas da Zona Sul: Chapéu do Sol, Ponta Grossa e Anísio Teixeira, quando Sofia era titular da Smed. Muito mais que uma mera reserva de mercado, a iniciativa leva qualidade às escolas e variedade de alimentos.
A outra lei da vereadora é a da Alimentação Saudável que regulamenta regras para cantinas e bares de escolas públicas e particulares comercializarem produtos que garantam uma alimentação mais nutritiva para as crianças e adolescentes. O espírito da lei é de conscientização do compromisso de todos com a reversão deste processo: pais, professores, direções de escolas, comerciantes. A opção de não proibir, mas de exigir a que esteja em maior evidência os alimentos saudáveis nas cantinas e bares de escola, aposta numa transição do que é hoje para de fato a escola demonstrar seu compromisso de educação também ao ofertar a merenda.
Compromisso esse que se estende. Para debater esse tema é que o mandato estará realizando no início de maio – data a ser confirmada em seguida – o segundo Sarau Pedagógico do ano. E já para começarmos a pensar em alimentação saudável indicamos uma visita ao site da Cooperativa GiraSol. Ali tem produtos ecológicos e coloniais feitos de forma artesanal. Esses produtos foram elaborados por pequenos empreendimentos que fazem do trabalho coletivo e da agroecologia uma forma nova de viver.

terça-feira, 10 de abril de 2007

Carlos Nejar é Cidadão Emérito de Porto Alegre


O escritor Luiz Carlos Verzoni Nejar, cujo nome literário é Carlos Nejar, recebeu nesta terça-feira (10/4) o título de Cidadão Emérito de Porto Alegre. A homenagem da Câmara Municipal da Capital, proposta pela vereadora Sofia Cavedon (PT), foi prestada em sessão solene no Plenário Otávio Rocha. Dirigida pela vereadora Maria Celeste (PT), presidenta do Legislativo, a solenidade contou com a presença de familiares, amigos e convidados do homenageado, entre os quais a esposa Elza, a filha Carla e o filho Fabrício Carpinejar, também escritor. Ainda esteve presente a ex-esposa Maria Carpi, escritora e mãe de Carla e Fabrício.
Membro da Academia Brasileira de Letras, Carlos Nejar é natural de Porto Alegre, onde nasceu em janeiro de 1939. Poeta, ficcionista, ensaísta e procurador de Justiça aposentado, Nejar é autor de Amar, a mais alta constelação, escolhido o melhor livro de poesias do Brasil em 1991. Essa mesma distinção já havia sido conferida pela União Brasileira de Escritores (UEB) ao seu livro O poço do calabouço, de 1974. De autoria de Nejar destacam-se ainda O campeador e o vento, 1966, Idade da Aurora, 1990, Árvore do mundo, 1978, e Zão, premiado pela Editora Melhoramentos como o melhor livro de poesias infanto-juvenis de 1988.
Em seu pronunciamento, Sofia disse ser Nejar merecedor do título de Cidadão Emérito por sua obra e por sua vida. “Nejar peregrinou pelo Rio Grande do Sul como procurador de Justiça convivendo com a dor do povo simples e daí construiu a densidade de sua produção artística”, salientou. A vereadora lembrou a carreira no magistério exercida pelo homenageado no interior do Estado: “É uma honra destacar não apenas um escritor, mas também um professor”.
Helio Panzenhagen (reg. prof. 7154)